América Central rejeita condições para negociar acordo de associação com a UE | Notícias sobre a América Latina e as relações bilaterais | DW | 13.03.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

América Central rejeita condições para negociar acordo de associação com a UE

Os chefes de governo dos países centro-americanos não só rejeitam adesão ao Estatuto de Roma, como também exigem aumento da ajuda européia ao desenvolvimento.

default

Camponeses na Guatemala

Os países da América Central fizeram um apelo para que a União Européia não imponha condições para o início das negociações sobre um eventual acordo de associação transatlântico. Em um encontro na capital da Costa Rica, San José, os presidentes dos países centro-americanos acertaram que as negociações com a UE deverão começar no início de 2009.

Costa Rica, Nicarágua, Honduras, Guatemala e El Salvador rejeitam a exigência européia de aderir ao Estatuto de Roma, tratado que selou a ciração da Corte Penal Internacional. Além disso, esses países também exigem que a UE aumente a ajuda ao desenvolvimento destinada à região.

Os países centro-americanos não pretendem alterar suas Constituições só para atender reivindicações européias, advertiram os chefes de governo. Uma adesão ao Estatuto de Roma permitiria que criminosos desses países passassem a ser julgados pelo Tribunal Penal Internacional, em Haia.

Há poucas semanas, a Guatemala viabilizou a reintrodução da pena de morte, recebendo severas críticas da Europa. O ministro do Exterior guatemalteco, Haroldo Rodas, declarou que seu país não cederá à pressão européia e não assinará o Estatuto de Roma só por causa de possíveis avanços nas negociações sobre um acordo de associação com a UE.

Leia mais