1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

"Amáveis e abertos" para a Copa do Mundo

Ministro do Interior anuncia que Alemanha deverá polir sua imagem antes da Copa de 2006. Para atrair turistas, o país promete oferecer prestadores de serviços solícitos, além de um perfeito esquema de segurança.

default

Copa na Alemanha: milhões de turistas e bilhões em investimentos

Tudo menos passar a impressão de que a Alemanha é um "vale de lamentações". Ou deixar com que o motorista de ônibus ou o policial nas ruas esqueça a gentileza em casa. A preocupação-mor do ministro alemão do Interior, Otto Schily, em relação à próxima Copa do Mundo no país, é fazer com que os alemães se tornem "mais contentes e leves". E só durante o evento?

"A Alemanha terá a chance única de se apresentar como um país vivo, novo, que sabe receber bem e está aberto ao mundo", observou o ministro durante o 8º Encontro do Turismo em Berlim, nesta terça-feira (21). O setor espera contabilizar um acréscimo de cinco milhões de pernoites durante a Copa de 2006 no país, com a presença de um milhão de turistas estrangeiros. O que significa um aumento no faturamento em torno de três bilhões de euros. Segundo as previsões, os estádios do país irão receber mais de três milhões de torcedores.

Espírito vienense ou sulista – O que fazer, então, para que o país receba bem essa multidão repentina? A sugestão do ministro é clara: "um pouquinho de espírito vienense ou dos países do sul". Nem que seja apenas durante a Copa... E o ministro vai além, afirmando que a Alemanha deve passar a imagem de um país moderno e "não de um lugar onde os visitantes irão se perguntar: onde é que viemos parar?"

Espera-se que o campeonato mundial de futebol possa trazer um verdadeiro impulso para o país. Afinal, observa Schily, a Alemanha "é inacreditavelmente rica em termos turísticos, com seus tesouros culturais e a diversidade de suas paisagens naturais". Durante a Copa, o propósito do setor é fazer com que o mundo não apenas se volte para a Alemanha, mas venha até o país. Economicamente, estima-se que o evento deva trazer "cerca de 5,5 bilhões de euros em investimentos", acentuou Schily.

Segurança e flexibilidade – Para que tudo corra sem maiores problemas, o país já está organizando um "perfeito esquema de segurança", garante o ministro. Deste deve fazer parte um controle rígido, entretanto, respeitando os limites do evento. Além disso, espera-se que os estados alemães sejam mais flexíveis em relação às proibições de vôos noturnos, para facilitar a locomoção de desportistas e fãs. Segundo o presidente da Federação Alemã do Turismo, Klaus Laepple, "a Copa do Mundo abre perspectivas de marketing para muito além do futebol". Para garantir o sucesso, ninguém duvida da organização perfeita. Quanto ao sorriso no rosto e à leveza prometida, é esperar para ver.

Leia mais