1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Altos lucros e menos impostos para empresas

O Ministério da Economia pretende unificar a tributação de empresas de diferentes formas jurídicas e, acima de tudo, reduzir os impostos para tornar Alemanha mais competitiva.

default

Wolfgang Clement sabe que recentes recordes de lucro dificultam justificar a medida

O ministro alemão da Economia, Wolfgang Clement, quer baixar ainda mais os impostos para empresas. Em entrevista à tevê alemã, Clement admitiu que as firmas têm que pagar impostos altos demais na Alemanha. Junto com o ministro das Finanças, Hans Eichel, Clement pretende unificar a forma de tributação para diferentes formas jurídicas, igualando médias empresas e grandes conglomerados diante do fisco.

Oposição aberta a negociar

Com esta decisão, o governo atende a uma recomendação do conselho dos analistas econômicos que avalia anualmente o desenvolvimento geral do país. No parecer de 2003, os cinco peritos do conselho haviam proposto uma reforma que implicasse o tratamento fiscal igualitário de diferentes formas de sociedade.

A líder da oposição democrata-cristã, Angela Merkel, anunciou que está aberta a negociar com o governo um novo sistema de tributação. O vice-líder da bancada da União Democrata Cristã (CDU) no Parlamento, Michael Meister, ressaltou que uma reforma do sistema fiscal para empresas até 2006 seria um importante sinal de ruptura para investidores alemães e estrangeiros. No entanto, políticos do governo consideram improvável que uma reforma passe direto pelo crivo do Bundesrat, a câmara alta do Legislativo alemão.

Dentro da coalizão, a decisão de Clement parece ser mais controversa. Os verdes não vêem necessidade de uma forte redução de impostos para empresas. Na opinião da porta-voz de assuntos financeiros do Partido Verde, Christine Scheel, o problema das firmas não é o fisco, mas sim os encargos salariais e a burocracia.

País de altos impostos?

O ministro da Economia destacou que uma reforma seria indispensável para aumentar a competitividade da economia alemã. No entanto, ele também admitiu que não será tão fácil justificar esta medida diante dos recentes recordes de lucro das empresas alemãs.

Nas últimas semanas, os analistas econômicos aumentaram suas previsões de lucro para todos os setores, tanto na Europa quanto nos EUA. De acordo com o Handelsblatt, o lucro das empresas alemãs deverá aumentar 17% no ano corrente, após crescimento de 69% em 2004.

Mesmo assim, a tributação para empresas na Alemanha é alta demais no contexto europeu e internacional, segundo apontou um dos cinco "sábios" do conselho de economistas, Bert Rürup. Com uma taxação de 30% dos lucros, a Alemanha seria um país competitivo internacionalmente, afirmou ele. Diante da ampla diferença entre os sistemas fiscais nacionais da União Européia, há grande divergência entre os economistas sobre a posição internacional da Alemanha como país de alta tributação.

Leia mais