1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Aliados de Chávez dominam eleições estaduais na Venezuela

Partido do presidente vence em 20 dos 23 estados do país. Henrique Capriles é reeleito em região estratégica, se reafirmando como líder nacional da oposição. Governo diz que Chávez apresenta melhora após cirurgia.

default

Venezuela Wahlen 2012

O partido do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, obteve uma vitória clara nas eleições regionais realizadas no país neste domingo (16/12). O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) anunciou, após a apuração de mais de 94% dos votos, que o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) elegeu governadores em 20 dos 23 estados, incluindo Zula, o mais populoso do país, com grandes reservas de petróleo. Até agora, o PSUV governava 15 estados.

O chefe de campanha do PSUV e prefeito de Caracas, Jorge Rodríguez, qualificou o resultado como a "vitória perfeita" e a "vitória de Chávez". "O chavismo, a força da pátria teve uma maioria esmagadora no total de votos em nível nacional. Esta é uma vitória de todo o povo da Venezuela, e principalmente, uma vitória de Chávez", afirmou.

Líder da oposição se reelege

A oposição conseguiu vencer apenas nos estados de Lara, Amazonas e Miranda. Neste último, o líder da oposição, Henrique Capriles, foi reeleito governador com 50,4% dos votos, vencendo o ex-vice-presidente Elías Jaua, que acumulou 46,13%.

Capriles, de 40 anos, se saiu bem nas eleições presidenciais no início de outubro, com 44,8% dos votos – o melhor resultado já obtido por um adversário de Chávez. Miranda é o segundo estado em número de votantes e abrange parte da Grande Caracas. Com a vitória nas regionais, Capriles se firma como principal nome da oposição.

O oposicionista disse estar feliz pelo povo de Miranda, mas triste pelo que aconteceu no resto do país, com a derrota dos outros líderes da oposição. "Enfrentamos todo o poder do Estado. Há outros estados onde não alcançamos o objetivo, mas temos que continuar falando aos venezuelanos sobre o país que sonhamos", disse.

O político não quis comentar uma possível candidatura presidencial em 2013, caso Chávez fique impossibilitado devido à sua doença e sejam convocadas novas eleições. "Estes são cenários que não estão planejados, lideranças não se decretam", disse.

Henrique Capriles Miranda Caracas Venezuela Wahl Regionalwahl Oppositionsführer

Com sua reeleição em Miranda, Capriles se firma como principal nome da oposição

Mais de 17 milhões de venezuelanos foram convocados a escolher no domingo novos governadores para 23 estados. Diferentemente das eleições presidenciais, quando os eleitores foram às urnas em grande quantidade, desta vez a abstenção foi de 46%, maior do que nas regionais de quatro anos atrás.

Doença de Chávez

A eleição foi fortemente influenciada pela doença do chefe de Estado, que foi submetido a uma cirurgia de seis horas na terça-feira passada em Havana, capital de Cuba. Esta foi sua quarta operação para combater um câncer, no período de um ano e meio.

A recaída de Chávez, reeleito em outubro, despertou dúvidas de que ele possa assumir o novo mandato, que começa em 10 janeiro. O próprio mandatário fez transparecer a gravidade da situação após ter nomeado o vice-presidente, Nicolás Maduro, como seu possível sucessor. Caso Chávez seja impedido permanentemente de tomar posse, será necessário convocar novas eleições.

O governo informou no domingo que o chefe de governo melhora "hora após hora" desde a cirurgia. Seu estado passou de "estável" a "favorável", e ele já conversa com os familiares. "Anteontem, o comandante já começou a se comunicar conosco, a instruir, a governar e a dar instruções e, sobretudo, está muito consciente da situação na Venezuela", disse o ministro da Ciência e Tecnologia, Jorge Arreaza, marido de uma das três filhas do presidente e que o acompanha em Cuba.

MD/dpa/rtr/afp
Revisão: Francis França

Leia mais