Alemanha vive boom de fundações privadas | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 09.07.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Alemanha vive boom de fundações privadas

Desde o início do pós-guerra, nunca houve tantas fundações na Alemanha. Cerca de 100 bilhões de euros são investidos a cada ano em educação, cultura, patrimônio histórico, meio ambiente e projetos para a integração.

default

Grips incentiva teatro infanto-juvenil

Há no país atualmente 15.449 fundações, segundo dados da Federação de Fundações Alemãs. Seus fundadores podem ser empresas, pessoas físicas ou grupos, mas todos têm o objetivo comum de contribuir de alguma forma com o bem-estar coletivo.

O capital das fundações de algumas empresas, como a Volkswagen, Bosch ou Bertelsmann, pode atingir vários bilhões de euros, mas em sua grande maioria as fundações alemãs são pequenas, com capital inferior a 500 mil euros.

Três fundações novas a cada dia

Abrir fundações virou moda na Alemanha. Não passa um dia sem que sejam abertas três novas fundações no país. Em 2007, foram inauguradas 1.134 delas, um recorde. Muitas delas dedicam-se à integração de migrantes e à educação.

Moderner Islam, junge Türkin, Integrationsprojekt

Muitas fundações dedicam-se à integração de estrangeiros

Um exemplo de filantropo é o advogado e tabelião Armin Stapel, berlinense de 59 anos, que em novembro de 2005 criou a fundação de utilidade pública que leva seu nome. Após 30 anos de vida profissional, seu objetivo foi passar adiante tudo o que ele havia vivenciado de positivo.

O capital usado foi a herança deixada pelo pai. Com ela, Stapel iniciou a realização de um sonho: o aprendizado do idioma para crianças através do teatro. Através de contatos, ele chegou ao Grips, um teatro infanto-juvenil de Berlim, com o qual fez um projeto para levar o teatro às escolas.

Cinco classes de duas escolas fundamentais de Berlim têm assim oportunidade de contar histórias, discutir, fazer teatro e assistir a outras peças. A metade dos custos do projeto são bancados pela Fundação Stapel.

Incentivos fiscais são estímulo

Segundo dados da Federação de Fundações Alemãs, 33% dos alemães se dispõem a apoiar o trabalho de alguma fundação. Vinte e cinco por cento dos alemães inclusive já praticam este apoio. O fato de fundações terem se tornado atraentes na Alemanha deve-se à reforma na legislação correspondente, feita no ano 2000.

Incentivos fiscais dirigidos fazem com que as ricas gerações do pós-guerra alemão coloquem seu dinheiro à disposição do bem comum. Hoje em dia, quem abre uma fundação pode abater meio milhão de euros do imposto. As vantagens fiscais estendem-se também para quem ajuda as fundações.

Leia mais