Alemanha terá mais secas no verão e enchentes no inverno | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 16.04.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemanha terá mais secas no verão e enchentes no inverno

A temperatura média vai subir nos próximos anos na Alemanha. Estudo do Serviço Alemão de Meteorologia prevê mais calor e mais chuva no país, aumentando os riscos de inundações.

default

Na seca de 2003, o rio Reno atingiu o nível mais baixo em 27 anos

Secas serão mais freqüentes no verão e enchentes, no inverno. Esta é a principal conclusão de um estudo sobre o desenvolvimento do clima na Alemanha nos próximos cem anos, apresentado pelo Serviço Alemão de Meteorologia (DWD).

Segundo uma projeção moderada feita com base nas observações verificadas no clima entre 1971 e 2000, os meteorologistas prevêem o aumento entre 2ºC e 4ºC na temperatura média no país até o ano 2100, disse Paul Becker, do DWD. O principal fator responsável por este aumento são as emissões de dióxido de carbono, acrescentou Wolfgang Kusch, diretor do Serviço Alemão de Meteorologia.

Várias regiões serão atingidas

Os pesquisadores acreditam que até o ano de 2050 a temperatura deverá aumentar de 0,5ºC a 2ºC. As principais áreas atingidas serão a região do rio Reno, o sudoeste da Alemanha, assim como os estados de Saxônia-Anhalt e Brandemburgo. Estas áreas terão muito mais dias de sol, com calor acima de 30ºC na sombra, dizem os estudiosos.

Gletscher schmelzen durch Hitze, Felsabbruch

Derretimento da neve eterna nos Alpes

Longos períodos de calor são uma ameaça à saúde e à agricultura. Além disso, o DWD adverte para problemas de abastecimento de energia, já que deverá haver uma maior demanda na refrigeração. A flora e a fauna terão dificuldades de se adaptar às mudanças, motivo pelo qual a Agência Federal de Proteção à Natureza prevê a extinção de 5% a 30% das espécies nativas devido ao aquecimento global.

Menos esqui, mais praia

Os invernos na Alemanha passarão a ser mais amenos, o que pode representar uma economia de óleo para calefação. O sul do país não será mais tão atraente para a prática de esportes de inverno. Por outro lado, os meteorologistas prevêem mais chuva, que pode ocasionar mais inundações ou furacões como o Kyrill, que em janeiro de 2007 causou destruição e 13 mortes na Alemanha.

Röbel

Lago Müritz em Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental

Naturalmente também haverá ganhadores com a mudança climática, disse Gerhard Müller-Westermeier, meteorologista do DWD. O estado de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, no nordeste da Alemanha, atrairá ainda mais turistas às suas praias e lagos.

Kusch ressaltou que o inverno e a primavera de 2007 na Europa foram claramente muito quentes. Em julho, a Inglaterra teve as piores enchentes dos últimos 60 anos e o nível do mar aumentou cerca de três milímetros, lembrou. Desde 1901, a temperatura média anual na Alemanha aumentou 0,9ºC, o que representa 0,2ºC a mais do que o aumento médio mundial.

As projeções do Serviço Alemão de Meteorologia partem do princípio de que tanto as emissões de dióxido de carbono como o crescimento da população mundial irão diminuir nas próximas décadas. Se isso não ocorrer, as mudanças climáticas poderão ser ainda mais radicais.

Leia mais