Alemanha tem quatro grupos Ku Klux Klan ativos | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 25.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemanha tem quatro grupos Ku Klux Klan ativos

Governo alemão classifica número de membros ligados ao movimento racista como pequeno, mas estima que, desde 2001, houve 68 crimes relacionados a ele.

default

Membros da Ku Klux Klan em ritual de queima de cruzes

As autoridades alemãs estimam que haja pelo menos quatro grupos Ku Klux Klan (KKK) em atividade no país atualmente, noticia nesta terça-feira (25/10) o jornal Süddeutsche Zeitung. A informação foi divulgada pelo governo em reposta a uma solicitação do partido A Esquerda.

Segundo o governo, o grupo secreto de supremacia branca possui um "número muito pequeno de membros". Eles operam em pequenas organizações e continuam marginais mesmo dentro da cena de extrema direita na Alemanha.

"Os baixos números de adesão não podem servir para desconsiderar o perigo que emana de tais organizações", afirmou a deputada Monika Renner, do partido A Esquerda.

O grupo fundado nos EUA tem presença na Alemanha desde a década de 1920. Em diferentes ocasiões ao longo de décadas, a liderança da Ku Klux Klan visitou o país para participar de ritual de queima de cruzes em florestas e zonas rurais.

De acordo com a resposta governamental à consulta do partido esquerdista, entre as atividades dos membros da Ku Klux Klan estão queimar cruzes, hastear bandeiras com a suástica e entoar canções que violam o espírito da Constituição alemã.

Acredita-se que Beate Zschäpe, a principal acusada no atual julgamento de membros da célula neonazista Clandestinidade Nacional-Socialista (NSU, na sigla em alemão), tenha participado de ao menos duas reuniões da Ku Klux Klan.

Também há registros das autoridades de que pelo menos dois policiais chegaram a ser membros do grupo Cavaleiros Brancos Europeus da Ku Klux Klan, no Sudoeste da Alemanha.

Os casos mais graves envolvendo o grupo aconteceram em 1992, quando um extremista tentou assassinar um homem negro em Brandemburgo, e um sem-teto foi esganado por um membro do KKK em Berlim.

Desde 2001, houve 68 crimes que tiveram alguma relação com a organização racista americana. O jornal, porém, não detalha quais foram os delitos.

Com raízes que remontam à Guerra Civil americana, a Ku Klux Klan é conhecida por suas roupas brancas e capuzes pontiagudos e por seus atos de violência e intimidação sobretudo contra negros.

CA/dpa/ots

Leia mais