1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemanha suspende investigação de blogueiros por traição

Antes de abrir processo contra autores do "Netzpolitik", procuradoria-geral aguarda parecer externo, "pelo bem da liberdade de imprensa". Ministro da Justiça questiona se jornalistas teriam divulgado segredos de Estado.

default

Markus Beckedahl e Andre Meister, do blog Netzpolitik

Após a Procuradoria-Geral da Alemanha anunciar que iniciaria investigações sobre dois jornalistas suspeitos de traição, após a divulgarem supostos segredos de Estado no blog de notícias Netzpolitik, o procurador-geral disse ter decidido suspender o inquérito nesta sexta-feira (31/07).

Os jornalistas Andre Meister e Markus Beckedahl publicaram documentos oficiais que relatavam planos do governo alemão de aumentar a vigilância nas comunicações via internet no país.

A acusação dos procuradores se baseava em dois artigos publicados no blog em fevereiro e abril, nos quais os repórteres teriam citado um relatório confidencial do Departamento Federal de Proteção à Constituição (BfV) que propunha a criação de uma nova unidade para monitorar a internet, em particular, as redes sociais.

O procurador-geral da Alemanha, Harald Range, disse que a princípio não seria aberto um processo criminal contra os jornalistas, "pelo bem da liberdade de imprensa e expressão", citou o jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung (FAZ).

Em vez disso, será esclarecido primeiro se segredos de Estado estavam realmente em questão nas publicações do Netzpolitik. Para tal, será necessário o parecer de peritos externos. "Enquanto se aguarda o relatório, a investigação ficará suspensa", disse Range.

O ministro da Justiça, Heiko Maas, questionou nesta sexta-feira se os jornalistas teriam de fato cometido traição ao divulgar as informações. Ele teria dito a Range ter dúvidas de que os documentos obtidos pelo blog seriam segredos de Estado, cuja divulgação poderia trazer riscos à segurança da Alemanha.

A Procuradoria-Geral havia anunciado nesta quinta-feira que também investigaria os informantes anônimos dos dois jornalistas. "Não somos testemunhas, mas na condição de cúmplices, somos tão responsáveis quanto nossas fontes anônimas", declararam Meister e Beckedahl.

O sindicato alemão dos jornalistas (DJV) havia condenado a atitude da Procuradoria-Geral como um ataque à liberdade de imprensa. Um possível processo judicial seria "uma tentativa inadmissível de amordaçar dois colegas de posicionamento crítico", declarou o diretor do DJV, Michael Konken, exigindo que as investigações sobre Meister e Beckedahl fossem canceladas.

O Netzpolitik.org é um dos blogs mais populares da Alemanha e trata principalmente de temas relacionados ao direito digital, proteção de dados e liberdade de informação. Os dois jornalistas haviam sido elogiados por seu trabalho de reportar em tempo real a investigação de uma comissão parlamentar sobre crimes cometidos pela organização de extrema-direita NSU no país.

A última acusação de traição feita a jornalistas alemães foi em 1962, após o a revista semanal Der Spiegel publicar uma reportagem acusando a Bundeswehr (Forças Armadas da Alemanha) de não ter competência para lidar com uma guerra nuclear. O caso resultou na renúncia do então ministro da Defesa, Franz Josef Strauss.

RC/dpa/epd/ap/afp

Leia mais