1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Alemanha reluta na introdução da TV digital

Emissoras abertas e operadoras de televisão a cabo estão cautelosas em relação à nova tecnologia. O maior obstáculo à digitalização é o custo elevado.

default

Outros países da Europa estão mais adiantados no processo de digitalização

Interessante? Para os alemães, nem tanto. Os especialistas da área de mídia na Alemanha estão cautelosos em relação à TV digital devido ao alto custo e, até mesmo, à sua aceitação no mercado. Enquanto os vizinhos franceses e ingleses aceleram o processo de digitalização, os alemães assistem apreensivos. "Ainda vai demorar uns anos para a TV digital chegar à Alemanha", afirma Stephane Goebel, presidente da operadora OpenTV. "Em relação aos outros países europeus, a Alemanha é realmente um mercado difícil e isso não é devido às emissões a cabo", comenta.

Em comparação a outros países da Europa, o custo de acesso a canais de televisão é bem menor na Alemanha. Com o auxílio de uma antena parabólica, os alemães dispõem de uma oferta de mais de 30 canais. Para assistir a canais digitalizados é necessário um decodificador, além da parabólica. Isto faz com qu3e a TV digital seja mais cara, perdendo assim parte da sua atratividade.

A relutância dos alemães em aceitar a era digital da tevê certamente não irá durar muito. Pesquisas recentes mostram que o tão cobiçado público-alvo de 8 a 20 anos está, cada vez mais, trocando a passiva tela da televisão pelos celulares e computadores interativos. Até lá, as emissoras e operadoras de TV a cabo terão que entrar em um acordo, a respeito dos modelos e tecnologias a serem introduzidos no país.

Sem dúvida, será difícil convencer os alemães a abandonar as suas parabólicas analógicas e a investir nos caros decodificadores de TV digital. Alguns especialistas acreditam até que mesmo as compras pela TV poderão deixar de ser tão sedutoras, quando os consumidores se depararem com os preços das mercadorias. No final, eles acabarão pagando pela "comodidade" de apenas apertar o botão do controle remoto.

Há quem ainda se questione, se os telespectadores querem mesmo interagir. Gurval Caer, diretor da operadora de tecnologia e informação Blast Radius, está cético: "Nos Estados Unidos ninguém acredita no sucesso da TV digital". Mesmo porque, na sua opinião, televisão é "simplesmente para assistir e relaxar".