1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemanha registra imigração recorde em 2015

País recebeu cerca de 2 milhões de estrangeiros no ano passado, e 860 mil foram embora, afirma órgão de estatísticas. Alta em relação a 2014 é de 49% para o ingresso.

Deutschland Registrierung von Flüchtlingen

A Alemanha enfrenta dificuldades para registrar os pedidos de asilo de milhares de refugiados

O Departamento Federal de Estatísticas da Alemanha (Destatis) afirmou nesta segunda-feira (21/03) que a Alemanha acolheu um número recorde de imigrantes em 2015, com alta de 49% em relação a 2014.

Segundo o órgão, a imigração líquida de estrangeiros chegou a 1,14 milhões no ano passado. "Este é o maior índice já registrado na história da República Federal da Alemanha", afirmou o Destatis em comunicado.

O Destatis registrou em 2015 a chegada de cerca de 2 milhões de imigrantes à Alemanha. No mesmo ano, 860 mil estrangeiros deixaram o país, com "saldo" de 1,14 milhões.

Em 2014, 1,343 milhões de pessoas haviam chegado à Alemanha, e 766 mil estrangeiros deixaram o país, o que resultou numa imigração líquida de 577 mil pessoas.

O cálculo usa dados consolidados de janeiro a agosto do ano passado e estimativas para os quatro meses restantes.

As autoridades alemãs enfrentam dificuldades para lidar com o grande fluxo migratório, com cerca de 400 mil pedidos de asilo ainda pendentes.

O Destatis havia contabilizado anteriormente a chegada de 1,1 milhão de refugiados ao país em 2015. Esse dado não leva em conta que muitos migrantes podem ter se registrado múltiplas vezes, em lugares diferentes.

Os dados divulgados nesta segunda-feira revelam ainda que em 2015 havia 9,11 milhões de estrangeiros registrados no país, um aumento de 12% em relação ao ano anterior.

Acordo UE-Turquia

Na última sexta-feira, a União Europeia (UE) firmou um

controverso acordo com a Turquia

para conter o fluxo migratório rumo à Europa, que permite às autoridades do bloco devolver ao governo turco os migrantes que entrarem ilegalmente no continente através da Turquia.

"A parte mais importante deste acordo é que irá pôr fim às atividades dos traficantes de pessoas e contribuir para reforçar a segurança das fronteiras externas da UE", afirmou a chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, após o fechamento do pacto. Ela rejeitou diversas tentativas de impor limites no número de refugiados que buscam asilo em seu país, o que desagradou a muitos de seus aliados políticos.

Organizações de direitos humanos rechaçaram o fechamento do acordo com Ancara. A Anistia Internacional afirmou que foi "um dia sombrio para a Europa e para a humanidade".

RC/dpa/dw

Leia mais