1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Alemanha quer alistar 3.900 soldados para guerra

Soldados alemães deverão atuar na prevenção de ataques atômicos, biológicos e químicos, controle aéreo, defesa marítima, serviços médicos e evacuação de feridos.

default

Chanceler federal alemão,Gerhard Schröder, quer atender pedido de ajuda dos EUA

O chanceler federal da Alemanha, Gerhard Schröder, quer colocar 3.900 soldados à disposição dos Estados Unidos, durante um ano, para a guerra contra o regime talibã e a organização do terrorista Osama bin Laden, Al Qaeda, no Afeganistão.

Schröder esclareceu hoje, em Berlim, que os militares alemães deverão atuar na prevenção de ataques atômicos, biológicos e químicos, em controles aéreo e marítimo, em serviços médicos, no transporte aéreo e como unidades especiais com tarefas semelhantes às da polícia. O chefe de governo não soube dizer quando as Forças Armadas alemãs (Bundeswehr) entrarão em ação e esclareceu que não está prevista uma participação direta de soldados alemães nos ataques aéreos ou nas tropas terrestres americanas no Afeganistão.

O governo do presidente George W. Bush formalizou o pedido de ajuda à Alemanha um mês depois que Schröder oferecera ajuda irrestrita para o combate ao terrorismo internacional, iniciado em 7 de outubro com os bombardeios dos EUA e da Grã-Bretanha no Afeganistão. Schröder destacou que a luta contra o terrorismo será longa, por isso é necessária uma participação alemã de uma forma ainda não definida com exatidão. Ele não soube dizer, todavia, qual será a duração da campanha militar, com participação prevista de até 4 mil soldados alemães.

Do contingente solicitado por Washington à Alemanha, 1.800 homens são para proteger transportes marítimos ameaçados e mais de 100 para uma força especial de evacuação de feridos. Na prevenção de ataques atômicos, biológicos e químicos, a Alemanha deverá usar os seus tanques Fuchs (raposa), com capacidade de detectar com grande precisão armas ou explosivos dos três gêneros.

Decisão - O gabinete social-democrata e verde decidirá amanhã sobre o pedido de ajuda militar dos Estados Unidos para a guerra no Afeganistão. Na quinta-feira, o chefe de governo apresentará uma declaração de governo ao Parlamento, informando os deputados sobre os planos militares e recomendando a sua aprovação numa sessão que ainda será marcada. Schröder já informou hoje, em reuniões separadas, o Conselho de Segurança Nacional e os líderes dos partidos políticos representados no Parlamento em Berlim.

Opoio da oposição - Os planos militares do chefe de governo contam com o apoio da oposição conservadora democrata-cristã (CDU), social-cristã (CSU) e liberal (FDP), mas com a resistência de vários deputados das duas agremiações governistas - o Partido Social Democrático (SPD), presidido por Schröder, e o Partido Verde. As alas pacifista dos verdes e a esquerdista dos social-democratas vêm há dias exigindo um cessar-fogo no Afeganistão. A primeira que fez isso foi a presidenta do Partido Verde, Claudia Roth, após uma curta visita ao vizinho Paquistão. O partido neocomunista PDS já rejeitou, categoricamente, uma presença alemã na guerra.