1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemanha precisa atrair mais imigrantes, diz estudo

Levantamento mostra que país precisa aumentar em 533 mil a população de estrangeiros por ano para manter equilíbrio no sistema social. População economicamente ativa será reduzida em um terço até 2030.

Nas próximas décadas, a Alemanha precisa atrair por ano mais de 530 mil pessoas a mais do que as que deixam o país, se quiser manter estáveis o volume de mão de obra e o sistema social do país até o ano de 2050, revelou um estudo divulgado nesta sexta-feira (27/03) pelo Instituto Bertelmann.

Ainda que todo o potencial doméstico seja totalmente utilizado e que a ocupação feminina e de pessoas mais velhas aumente, o país precisará receber 350 mil estrangeiros anualmente, calculam os pesquisadores.

Os números atuais estão aquém do necessário para o equilíbrio na economia alemã. No ano passado, a Alemanha registrou um aumento de 470 mil pessoas em sua população estrangeira. Nos últimos 60 anos, a média anual foi bem inferior: apenas 200 mil pessoas.

Sem imigrantes, diz o levantamento, o número de pessoas na idade economicamente ativa daqui a 35 anos vai despencar dos atuais 45 milhões para 29 milhões.

O estudo mostra ainda que metade da força de trabalho qualificada – formada por pessoas nascidas durante o "baby boom" dos anos 1950 e 1960 – vai se aposentar até 2030, deixando aberto um espaço que só poderá ser preenchido com mão de obra estrangeira.

Os autores do levantamento ressaltam ainda que será fundamental atrair mão de obra qualificada de países de fora da União Europeia, já que a população no bloco europeu também tende a cair.

Outro fator a ser considerado é a futura recuperação econômica dos Estados atualmente em crise, que também deverá desestimular a emigração. Ao todo, a população estrangeira de origem europeia na Alemanha aumentou em 300 mil em 2013, número que deve despencar para apenas 70 mil até 2050.

Em 2013, 140 mil pessoas de nacionalidade não europeia trocaram seus países pela Alemanha – muitos por motivos familiares, humanitários ou para estudos. Apenas 25 mil vieram por motivos profissionais, como mão de obra qualificada. Pesquisadores preveem que o governo alemão terá que atrair entre 276 e 491 mil cidadãos não europeus por ano até 2050.

MSB/epd/dpa

Leia mais