1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Alemanha observa ansiosa Festival de Cinema de Locarno

Com 13 produções programadas, algumas nas principais seções, a Alemanha tenta repetir o êxito de 2006 no festival internacional da Suíça. Vários curtas e longas brasileiros também concorrem.

default

Luzes e glamour em Locarno

Ao lado da Palma de Cannes, do Urso de Berlim e do Leão de Veneza, o Leopardo de Ouro do Festival Internacional de Locarno conta entre os troféus de cinema mais cobiçados da Europa.

Schweiz Filmfestival in Locarno

Festival tem diversas seções

A 60ª edição do evento se iniciou nesta quarta-feira (01/08), na pitoresca localidade suíça às margens do Lago Maggiore. Uma longa tradição, que se reflete em 2007 numa série de retrospectivas com obras de cineastas que chegaram a Locarno como ilustres desconhecidos, para lá serem descobertos. Entre os homenageados estão Claude Chabrol, István Szabó e Mike Leigh. A programação inclui ainda um tributo ao sueco Ingmar Bergman, falecido em 30 de julho.

Um dos principais VIPs encarregados de abrilhantar o festival deste ano é Anthony Hopkins ( Hannibal), que vem apresentar Slipstream, onde atua e dirige. No outro extremo do espectro, a seção Open Doors exibe produções de países cuja indústria cinematográfica ainda engatinha. Este ano o foco é o Oriente Médio.

Pressão do sucesso

Em 11 dias, até 11 de agosto, o público de Locarno terá a chance de assistir a 500 longas e curta-metragens. A Alemanha observa este jubileu Lago Maggiore com especial ansiedade. Ela está representada com um total 13 produções nas seções mais importantes, como por exemplo a mostra competitiva internacional e a de jovens diretores.

Concorrendo ao Leopardo de Ouro, dotado com 60 mil euros, estão Früher oder später (Mais cedo ou mais tarde), de Ulrike von Ribbeck, e a co-produção teuto-argentina Las horas posibles, de Sandra Gugliotta.

Ulrich Mühe in Das Leben der Anderen

Ulrich Mühe em 'A vida dos outros'

Participação brasileira

O Brasil também marca presença no Festival Internacional de Locarno deste ano. Juízo, de Maria Ramos, foi incluído entre os Cineastas do Presente. Moacir – Arte bruta, de Walter Carvalho, é um dos Filmes do Júri. Entre as demais contribuições brasileiras está Handerson e as horas, de Kiko Goifman, além de curtas de Carlos Adriano, Pablo Lobato, Clarissa Campolina e Helvécio Marins Jr.. (av)

Sobretudo os alemães estão sob a pressão de repetir o êxito de 2006, quando o prêmio máximo coube à teuto-suíça Das Fräulein (A senhorita). A vida dos outros, mais tarde Oscar de melhor filme estrangeiro, mereceu o cobiçado Prêmio do Público. Verfolgt (Perseguido), venceu a mostra Cineastas do Presente, dedicada ao cinema inovador e inusitado. E, por fim, o alemão Burkhart Klaussner foi considerado melhor ator, por sua atuação em Der Mann von der Botschaft (O homem da embaixada).

Leia mais