1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Alemanha joga bem, mas cede empate à Argentina

Há quatro anos, a seleção alemã não derrota um grande adversário. Contra a Argentina, a equipe de Jürgen Klinsmann mostrou um bom futebol, mas permitiu que os decepcionantes argentinos igualassem o placar em 2 a 2.

default

O argentino Juan Roman Riquelme (esq.) disputa bola com Bernd Schneider


A seleção alemã empatou em 2 a 2 com a Argentina, na noite desta quarta-feira (09/02), em Düsseldorf, em jogo preparatório para a Copa do Mundo de 2006. O centro-avante Crespo, que retornou à equipe argentina após oito meses de pausa, estragou a festa dos 52 mil torcedores, que chegaram ao estádio LTU-Arena ainda embalados pelo carnaval: ele marcou o golaço de empate aos 36 minutos do segundo tempo, depois haver convertido um pênalti duvidoso, aos 40 da primeira etapa.

A equipe treinada por Jürgen Klinsmann dominou o jogo, principalmente no primeiro tempo, combinando marcação cerrada com futebol ofensivo, que resultou nos gols de Frings (de pênalti aos 28) e de Kuranyi, aos 45 minutos. Um erro do árbitro italiano Farina e um cochilo da zaga, no entanto, impediram a Alemanha de quebrar uma série de 12 jogos em quatro anos sem vitória contra seleções consideradas de ponta. Seu último grande êxito foi a vitória de 1 a 0 contra a Inglaterra, em 7 de outubro de 2000.

Caminho certo

Fußball Deutschland gegen Argentinien - Fans

Torcida alemã ainda estava em ritmo de carnaval

"A equipe está de parabéns. O primeiro tempo foi maravilhoso. Sobretudo a forma como pressionamos a Argentina, terceira colocada no ranking da Fifa, foi impressionante", disse Klinsmann, analisando a chance perdida pela Alemanha de conquistar sua 200ª vitória em casa.

"Após o intervalo – acrescentou – mostramos sinais de desgaste e aí a Argentina se vingou. Naturalmente dói sofrer um gol próximo do final de um jogo contra uma seleção de ponta. Mas nós estamos no caminho certo. Precisamos desenvolver nossa cultura de jogo – pra frente e ofensiva. E esse processo caminha bem", disse Klinsmann.

O técnico argentino Jose Pekerman disse que foi "um jogo extraordinário de duas seleções com grande tradição no futebol. As duas equipes queriam definitivamente vencer. A Alemanha, no primeiro tempo, foi claramente mais forte; no segundo tempo, nós contra-atacamos melhor e, com isso, merecemos o empate."

Pênalti duvidoso

Fußball Deutschland gegen Argentinien

Goleiro alemão Lehmann não teve chance no pênalti duvidoso cobrado por Crespo

Tecnicamente, os argentinos decepcionaram quem esperava um jogão dos líderes do grupo sulamericano das eliminatórias. Até parecia que as equipes haviam trocado as camisas. A Alemanha começou agressiva e logo criou três boas chances de gol, mas Frings, Schneider e Asamoah levaram azar nas finalizações.

Aos 28 minutos, Frings abriu o placar, cobrando pênalti cometido pelo zagueiro Burdisso no centro-avante carioca-alemão Kuranyi. Foi o quinto gol de Frings em seu 36° jogo pela seleção alemã.

A cinco minutos do intervalo, o atacante Crespo, do Milan, empatou para a Argentina, cobrando um pênalti dado de presente pelo árbrito italiano Stefano Farina. No último minuto da primeira etapa, Kuranyi ainda marcou o 2 a 1 para a Alemanha, aproveitando um excelente lançamento de Schweisteiger. Foi o oitavo gol de Kuranyi sob o comando de Klinsmann e seu 12° pela seleção alemã.

Zaga alemã cochila e é castigada

Fußball Deutschland gegen Argentinien

Schweinsteiger é bom de bola, mas ainda não tem a maturidade de Ballack, que desfalcou a equipe a alemã.

A Alemanha, desfalcada do capitão Ballack (resfriado), do atacante Klose (dores no pescoço) e do goleiro Kahn (que Klinsmann deixou no banco), manteve a pressão sobre os argentinos no início do segundo tempo. Mas os sulamericanos aproveitaram friamente uma de suas raras chances de gol. Crespo, lançado pela esquerda, foi mais rápido que o zagueiro Owomoyela, e encobriu o goleiro Lehmann, que havia avançado um pouco demais. "Ele não teve chances de impedir o gol", disse Klinsmann.

"Foi um jogo difícil. É claro que a Argentina exigiu muito de nós, mas foi uma coisa idiota termos tomado o gol de empate. Apesar disso, estivemos mais do que à altura dos argentinos", disse o zagueiro Owomoyela. Já o meia Frings, melhor jogador alemão em campo, mostrou-se decepcionado: "Estivemos duas vezes na frente no placar, mas sempre permitimos o empate. São erros que precisamos corrigir nos próximos meses."

O próximo amistoso da seleção alemã será no dia 26 de março próximo contra a Eslovênia, em Celie. Em 21 de junho, a Alemanha volta a enfrentar a Argentina em Nurembergue, em jogo válido pela Copa das Confederações. Talvez, até lá o ex-técnico Berti Vogts volte a integrar na equipe técnica da seleção alemã.

Klinsmann parece interessado em entregar a Vogts o trabalho de scout, que nada mais é do que um levantamento quantitativo dos elementos que compõem uma partida de futebol: passes, desarmes, cruzamentos, finalizações, faltas, impedimentos, tempo de jogo, substituições, cartões, atuação do goleiro etc. "Seria ótimo poder contar com a experiência dele, mas isso não tem pressa", disse.

Leia mais