1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Alemanha garante apoio, mas exige mais esforço da Grécia

Em encontro com Tsipras, Merkel afirma que ainda há muito trabalho a fazer. Primeiro-ministro grego se mostra otimista e diz que acordo com credores deve ser alcançado logo.

Depois de uma longa conversa com o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, a chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, exigiu um esforço maior de Atenas para superar a crise de endividamento. A líder alemã afirmou nesta sexta-feira (22/05) que ela e o presidente francês, François Hollande, ofereceram ajuda e apoio a Tsipras.

Merkel reforçou, no entanto, que um acordo deve ser alcançado em cooperação com os três credores gregos – a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional (FMI) – e que ainda há muito a ser feito. "É necessário um trabalho muito, muito intenso", ressaltou a chanceler.

Merkel e Hollande conversaram por mais de duas horas com Tsipras, na noite desta quinta-feira, em Riga, na Letônia. Eles buscavam soluções para a crise da dívida grega. Os países da zona do euro exigem que a Grécia apresente uma lista de reformas para garantir o pagamento de uma parcela de 7,2 bilhões de euros do programa de resgate financeiro em vigor. Sem essa quantia, o país está ameaçado de insolvência nas próximas semanas.

O governo grego ainda não conseguiu apresentar uma lista de propostas que fossem consideradas viáveis pelos seus credores. Mas, depois do encontro, Tsipras afirmou que a Grécia está prestes a alcançar uma solução para a crise.

"Gostaria de informar que as discussões foram muito construtivas e conduzidas numa atmosfera muito boa e amigável", disse o primeiro-ministro grego após o encontro com Merkel e Hollande. "Estou otimista de que logo encontraremos uma solução viável e duradora, sem os erros do passado, e que a Grécia voltará a crescer", acrescentou.

Há otimismo também nas declarações do porta-voz do governo grego, Gabriel Sakellaridis, à emissora de televisão Skai TV. "Percorremos uma distância significativa para alcançar um terreno comum com os credores. Acreditamos que as circunstâncias estão prontas, e nos próximos dez dias, ainda em maio, um acordo poderá ser selado", afirmou Sakellaridis.

Tsipras deve encontrar-se nesta sexta-feira com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker. Os líderes europeus estão reunidos em Riga com seis ex-repúblicas soviéticas para aproximar as

relações entre o bloco europeu e a chamada Parceria Oriental

, formada por Armênia, Azerbaijão, Belarus, Geórgia, Moldávia e Ucrânia.

CN/dpa/afp/rtr

Leia mais