1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Alemanha espiona adversários da Copa do Mundo

Técnico e seu auxiliar vão a Dublin e Copenhague, antes de receber jogadores do Leverkusen, que devem ser poupados no amistoso contra Áustria. Völler promete: "Vamos nos apresentar bem diferentes do que contra Gales."

default

Völler e Skibbe querem ver de perto como Irlanda e Camarões estão jogando

O técnico da Seleção Alemã, Rudi Völler, e seu auxiliar Michael Skibbe viajaram nesta quinta-feira para Dublin, para assistir à partida entre Irlanda e Nigéria. Na sexta pela manhã, Völler retorna para a concentração alemã em Siegburg, enquanto Skibbe seguirá para Copenhague, onde observará o desempenho do Camarões contra a Dinamarca.

Os alemães enfrentam os irlandeses na segunda rodada da Copa do Mundo, dia 5 de junho, em Ibaraki, e encerram a primeira fase contra os camaroneses, comandados pelo técnico alemão Winfried Schäfer, dia 11, em Shizuoka. Arábia Saudita, primeiro adversário da Alemanha na Copa, já foi espionada por um olheiro na terça-feira, quando derrotou em Riad a seleção do Senegal por 3 a 2. "É naturalmente uma equipe algo mais forte do que o Kuwait (o qual a Alemanha goleou por 7 a 0), mas estamos mais do que bem preparados para enfrentá-los", acredita Skibbe.

Eternos vices em forma e com moral – Na sexta-feira, Völler terá bastante o que fazer em Siegburg. A começar por receber os cinco jogadores do Bayer Leverkusen, os últimos a se apresentarem ao treinador, devido à final da Liga dos Campeões, a qual perderam para o Real Madrid na noite de quarta-feira. A comissão técnica está otimista com a integração de Neuville, Ballack, Schneider, Ramelow e do goleiro Butt.

"Apesar de terminarem a temporada de mãos vazias, após disputarem três títulos, o moral parece intacto. Eles agora têm uma nova meta: ir para a Copa", afirmou Skibbe, ressaltando que os cinco também sobreviveram ilesos à maratona de finais. "Só estão cansados e precisam descansar", acrescentou o auxiliar técnico, informando que eles devem ser poupados no amistoso contra a Áustria. Possivelmente, ficarão no banco de reserva.

Decisão sobre zagueiro – Além disto, Völler deverá nesta sexta-feira bater o martelo se mantém ou não a convocação de Wörns. O zagueiro do Borussia Dortmund ainda se recupera de uma cirurgia no joelho, realizada há menos de uma semana. "As perspectivas são boas. O joelho está seco e a articulação não sofreu lesão", comentou Skibbe. Caso se avalie que Wörns não terá condições de se recuperar a tempo, Baumann, do Werder Bremen, já está de prontidão para ser convocado.

A perda de Wörns obrigará Völler a construir uma nova defesa para a Seleção. Na segunda-feira, o zagueiro Jens Novotny foi operado no Colorado (EUA), sendo constatado o rompimento de ligamentos. "É a pior lesão que um jogador de futebol pode sofrer. Novotny terá de ficar parado durante quatro semanas", anunciou Thomas Pfeiffer, médico do Bayer Leverkusen.

Que venham os vizinhos – A terceira tarefa que Völler terá na véspera do fim de semana será preparar a Seleção Alemã para o amistoso de sábado, em Leverkusen, contra a Áustria, o último antes da viagem para o Japão. A grande esperança do treinador é poder finalmente escalar o lateral direito Marko Rehmer, que trata uma lesão na batata da perna desde o início de março e não atua pela Seleção desde a classificação para a Copa, em novembro. O armador Deisler e o lateral esquerdo Ziege devem também mais uma vez começar jogando, para que recuperem sua forma física.

Ainda sem conseguir colocar em campo a formação com que espera iniciar a Copa do Mundo, Völler adverte seus críticos que não esperem mais uma vez uma grande atuação de seu time, mas promete ao menos maior engajamento do que o mostrado na derrota de 1 a 0 para o País de Gales na terça-feira. "Temos de estar conscientes de que, para a Áustria, este é um grande jogo. Exatamente os países que não se classificaram para a Copa querem mostrar que são melhores. Em todo caso, vamos nos apresentar bem diferentes do que em Cardiff. Com certeza não iremos despertar de novo somente nos últimos 30 minutos de jogo", garante o treinador alemão.

Leia mais

Links externos