1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Alemanha enviará 1200 soldados ao Afeganistão

Gabinete social-democrata e verde aprova a participação alemã na tropa de proteção da ONU que vai garantir a segurança no Afeganistão na fase de transição, após a queda dos talibãs.

default

Primeiros boinas azuis alemães devem voar segunda-feira para o Afeganistão

O governo da Alemanha deu o sinal verde para a participação de até 1200 soldados na tropa de proteção que a ONU enviará ao Afeganistão. A decisão foi tomada pelo gabinete em Berlim, nesta sexta-feira, depois que o chanceler federal, Gerhard Schröder, informou os líderes dos partidos políticos sobre a ação de paz, aprovada na véspera pelo Conselho de Segurança em Nova York.

O Parlamento alemão, em recesso há 8 dias, foi convocado extraordinariamente para decidir sobre o envio da tropa, em Berlim, neste sábado, enquanto o governo provisório afegão chefiado por Hamid Karsai estará assumindo o poder em Cabul. A aprovação dos parlamentares alemães por grande maioria de votos é tida como certa e os primeiros soldados deverão partir segunda-feira para o país asiático.

Um dia antes de sua posse, o governo interino afegão ainda não encontrou um consenso sobre as tarefas da tropa internacional de proteção. Alguns ministros querem que elas se limitem às decisões do governo local sobre questões de segurança. O Ocidente, ao contrário, prefere que os boinas azuis patrulhem Cabul, para garantir a segurança do governo e da população.

Comando - O ministro da Defesa, Rudolf Scharping, descartou a hipótese de a Alemanha substituir a Grã-Bretanha no comando da tropa internacional em abril. Os primeiros soldados britânicos já chegaram no país asiático. Os alemães deverão fazer parte de um subcontingente de 1450 homens com os holandeses e dinamarqueses.

Scharping elogiou a separação clara entre a tropa de paz da ONU e a liderada pelos Estados Unidos na caça de combatentes da Al Qaed de Osama Bin Laden, responsável pelos atentados de 11 de setembro. Mas, segundo o ministro alemão, tem de haver uma coordenação estreita. Ele admitiu que os soldados alemães correrão riscos, no mínimo na fase de transição. Está prevista a participação de 22 países no contingente internacional de 3 mil a 5 mil soldados previsto na resolução do Conselho de Segurança.