1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Alemanha em alerta contra atentados

Serviço de inteligência BND adverte para possibilidade de ações terroristas. Governo reforça segurança de alvos em potencial. Polícia prende homem com explosivos em Heidelberg.

default

Alemães têm medo de terror nas véspera de 11 de setembro

Persiste o perigo de ataques terroristas agora e a longo prazo por parte de extremistas islâmicos, cujas redes na Europa e na Alemanha permanecem intactas, avisou um porta-voz da agência de inteligência da Alemanha (BND), em Berlim, nesta sexta-feira (6), ao ser indagado por jornalistas. O serviço secreto alemão não teria, porém, referências concretas de atos terroristas no primeiro aniversário dos atentados nos Estados Unidos com quase três mil mortos, segundo o porta-voz.

O ministro do Interior, Otto Schily, já havia se pronunciado de forma semelhante e advertido contra pânico e histeria. Mas, consciente do perigo latente, mandou reforçar as medidas de prevenção.

Na noite de sexta-feira, porém, a Polícia confirmou a prisão de um turco de 24 anos próximo à cidade turística de Heidelberg. O homem teria grande quantidade de explosivos químicos em seu poder e pretenderia usá-los num ataque a instalações americanas na Alemanha. Nos EUA, o FBI deteve um afegão com passaporte alemão, de 39 anos, residente em Hamburgo. Suspeito de terrorismo, o homem está preso para interrogatório.

Diante da proximidade do 11 de setembro, dois institutos de pesquisa confirmaram o medo dos alemães em diversos graus. O Dinap, sediado em Bonn, anunciou que no mínimo 20% dos alemães têm medo de novos atentados. Uma pesquisa semelhante, feita pelo Instituto Emnid, mostrou que quase o dobro de pessoas (37%) temem ataques terroristas.

Al Qaeda ameaça

Existe uma ameaça da Al Qaeda e os alvos potenciais de ataques são instituições americanas e judaicas, segundo o Departamento Federal de Polícia (BKA). "Nós temos de calcular que atentados podem acontecer a qualquer momento", disse o presidente do BKA, Klaus-Ulrich Kersten, em entrevista à Deutsche Welle. E acrescentou: "Isso pode acontecer também conosco na Alemanha."

A experiência mostra, por outro lado, que terroristas não se orientam por jubileus ou datas especiais, segundo o departamento federal que coordena os serviços de proteção à Constituição, as agências de inteligência estaduais. Mas o pesquisador de terrorismo Rolf Tophoven advertiu para ataques nos Estados Unidos e na Europa. Ele não vê a Alemanha especialmente ameaçada, "porque ainda não está na mira da organização de Osama Bin Laden".

Fase de reagrupamento

Os peritos alemães são unânimes sobre o perigo constante, mas abstrato, do terrorismo. Segundo Tophoven, a Al Qaeda encontra-se agora numa fase de reagrupamento. Grupos menores de combatentes independentes se encontram em vários países europeus, disse ele. Células autônomas, de no máximo quatro a seis pessoas, estariam sob comando de um líder local, escolhem suas metas próprias e assumem planejamento e logística.

No lastro das investigações nos últimos meses, também na Alemanha se revelou um número crescente de grupos pequenos com ligações com a Al Qaeda. Embora as estruturas da organização do terror não tenham sido ainda destroçadas, o chefe da polícia federal alemã se mostrou satisfeito com as investigações no âmbito da prevenção e combate ao terrorismo: "nesse meio tempo, correm mais de 70 inquéritos na Procuradoria-Geral da República da Alemanha". Esta semana, vazou para o jornal Berliner Zeitung a informação de uma iminente ação de grandes dimensões contra extremistas islâmicos.