Alemanha e EUA querem voltar a intensificar relações | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 04.02.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Alemanha e EUA querem voltar a intensificar relações

Alteração no curso político dos Estados Unidos abre expectativa de novos ares nas relações entre Berlim e Washington. Guantánamo e Afeganistão foram dois temas do encontro entre Steinmeier e Clinton.

default

Clinton recebeu Steinmeier em Washington

Duas semanas após a mudança de governo nos Estados Unidos, Washington e Berlim demonstram a intenção de intensificar as relações entre os dois países. Após o encontro de mais de duas horas, nesta terça-feira (03/02), com a nova secretária norte-americana de Estado, Hillary Clinton, o ministro alemão de Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, defendeu uma nova "agenda transatlântica". Clinton, por seu lado, classificou a Alemanha como um dos "parceiros mais próximos" dos EUA.

Antes do encontro, Steinmeier havia manifestado a esperança de um reinício nas relações teuto-americanas. "Muita coisa ficará mais fácil, diferente e melhor", disse o ministro social-democrata e vice-chanceler federal alemão.

Hillary Clinton salientou que as relações entre os dois países não devem se basear apenas no debate sobre o envio de mais soldados alemães ao Afeganistão. A secretária de Estado anunciou que o encarregado especial Richard Holbrooke viajará pela primeira vez à região na próxima semana. Já o tema Guantánamo foi abordado com reserva por Clinton. Segundo ela, o governo norte-americano ainda não estaria preparado para falar de detalhes.

Expectativa de impulsos no desarmamento

A crise econômica, mudanças climáticas e desarmamento foram os assuntos do encontro de Steinmeier com o assessor de Segurança da Casa Branca, James Jones. Numa coluna publicada na edição desta quarta-feira no diário alemão Süddeutsche Zeitung, o ministro alemão manifestou a esperança de que "após anos de bloqueio pelo presidente George Bush", o desarmamento volte a tomar impulso tanto por parte da Rússia como pelos Estados Unidos.

Ao falar de medidas contra a crise, Steinmeier advertiu contra o protecionismo. Mercados fechados "com certeza não ajudam a combater a crise", afirmou. Cumprindo a praxe, Steinmeier convidou Clinton para visitar a Alemanha.

No próximo final de semana, o novo vice-presidente norte-americano, Joe Biden, estará em Munique para participar da Conferência Internacional sobre Segurança. O presidente Obama deverá fazer sua primeira viagem à Europa no começo de abril, para participar da cúpula financeira mundial em Londres e da cúpula festiva pelos 60 anos da Otan, na cidade alemã de Baden Baden.

Leia mais