Alemanha deve comandar tropa de paz em Cabul, diz Karzai | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 13.03.2002
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Alemanha deve comandar tropa de paz em Cabul, diz Karzai

Enquanto os EUA anunciam o fim da Operação Anaconda, com uma vitória dos aliados sobre os homens de Osama Bin Laden, o primeiro-ministro interino do Afeganistão é esperado em Berlim.

default

Hamid Karzai: Alemanha goza de muito respeito e confiança no Afeganistão.

O chefe do governo interino do Afeganistão, Hamid Karzai, pronunciou-se a favor de a Alemanha assumir o comando da tropa internacional de proteção estacionada em Cabul (ISAF), depois do período da Grã-Bretanha. "O povo afegão vai se alegrar se a Alemanha assumir o comando da ISAF", disse o premier em entrevista a uma emissora de TV alemã pouco antes de iniciar a sua primeira visita ao país nesta quarta-feira (13). Karzai chegou esta noite a Berlim, em companhia de seis ministros, procedente de Moscou, onde assinou 17 acordos de fornecimento de mercadorias e ajuda para reconstrução da infra-estrutura no Afeganistão.

O premier afegão conversará primeiro com o ministro alemão do Exterior, Joschka Fischer, e se encontrará nesta quinta-feira com o chanceler federal, Gerhard Schröder. Ele será recebido também, com honras militares, pelo presidente alemão, Johannes Rau. A reconstrução do Afeganistão é um dos temas mais importantes das conversas, uma vez que, com 80 milhões de euros (US$ 70,1 milhões) em 2002, a Alemanha é o maior doador de recursos na União Européia.

Ajuda financeira - Para o período até 2005, Berlim prometeu um total de 320 milhões de euros para a reconstrução do país asiático devastado pela guerra civil, secas e bombardeios dos Estados Unidos e aliados na luta contra o terrorismo. Em 2001, o governo alemão já deu uma ajuda humanitária de 51 milhões de euros para alimentos e auxílio a fugitivos de guerra.

Apoio militar – A Alemanha participa da tropa internacional de proteção em Cabul e adjacências com quase mil soldados. O perigo da ação ficou evidente na semana passada com a morte de dois soldados alemães e três dinamarqueses quando tentavam desativar um míssil de fabricação russa ainda dos tempos em que a União Soviética participava da guerra civil no Afeganistão.

A Alemanha é também um aliado dos Estados Unidos na guerra contra o terrorismo no Afeganistão. Quase 100 soldados alemães de elite participam da caça de combatentes do antigo regime talibã e da Al Qaeda de Osama Bin Laden no âmbito da operação americana "Liberdade Duradoura", iniciada depois de 11 de setembro.

Fim da Anaconda – As tropas americanas e aliadas, entre as quais encontram-se soldados alemães de elite, anunciaram nesta quarta-feira que, depois de duas semanas de violentos combates, venceram os homens de Bin Laden. As tropas aliadas expulsaram as últimas unidades inimigas do lugarejo Sha-i-Kot e com isso ocuparam todo o vale de mesmo nome. Assim foi encerrada a Operação Anaconda, na qual soldados da Alemanha e de outros cinco países juntaram-se aos EUA na luta quase frontal com os extremistas. A operação teria sido um sucesso, mas o comando central admitiu que mulheres e crianças foram mortas num ataque na semana passada.

Leia mais