Alemanha define programa de proteção ao clima | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 24.08.2007
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemanha define programa de proteção ao clima

Apesar de as organizações ambientais considerarem o empenho insuficiente, o governo alemão fixou metas concretas para conter emissões de gases-estufa através de seu programa de proteção ao clima.

default

Programa prevê vantagens fiscais para empresas que reduzirem consumo energético

O governo alemão acertou o programa de proteção ao clima, com a meta de reduzir, até 2020, as emissões de gases-estufa em 40%, tomando como base o nível registrado em 1990. O ministro do Meio Ambiente, Sigmar Gabriel, advertiu que essa meta só poderá ser atingida através da cooperação entre União, estados e municípios.

O programa prevê a valorização gradativa de fontes de energia renováveis e não adversas ao meio ambiente e também a crescente restrição a fontes poluentes. Até 2020, o objetivo é aumentar em 25% a quantidade de eletricidade produzida por acoplamento força-calor, mais compatível com padrões de proteção ao clima. A cota de fontes renováveis (eólica, solar ou biomassa) no quadro energético do país, que atualmente perfaz 13%, deverá ser elevada a 25%-30%.

Dentro desse mesmo prazo, a quantidade de biocombustível a ser misturada ao combustível normal deverá chegar a 20% do volume total. Além disso, deverá haver novas restrições à emissão de gases fluorados com efeito-estufa, em parte até 20 mil vezes mais nocivos do que o CO2.

Mudar estruturas e hábitos de consumo

Outra prioridade do governo alemão é aprimorar a tecnologia para fins ambientais. A técnica de isolamento de dióxido de carbono em usinas de carvão deverá ser desenvolvida. A idéia também é equipar as residências com registros eletrônicos inteligentes, a fim de que se possa controlar o consumo de eletricidade.

Os padrões de construção civil também deverão ser aprimorados, a fim de reduzir os gastos de energia. O governo pretende investir 200 milhões de euros ao ano, para sanear escolas, jardins de infância e centros para jovens. Um programa semelhante voltado para edifícios governamentais deverá continuar funcionando até 2011.

A planejada lei de calor renovável prevê que 15% da energia para calefação provenha de fontes renováveis para edifícios novos; no caso das construções antigas, a cota seria de 10%. O governo alemão também pretende investir mais em pesquisa de fontes alternativas de energia e tecnologia ambiental.

Incentivo à economia de eletricidade

O programa de proteção ao clima tenta motivar a sociedade a optar por padrões menos nocivos ao meio ambiente. Isto implica vantagens fiscais para empresas dispostas a reduzir o consumo de energia. Um acordo nesse sentido deverá ser acertado com o empresariado até 2013. Outros programas de incentivo serão planejados para tornar mais eficiente a utilização de energia.

Uma outra meta do programa de proteção ao clima do governo alemão é incluir o transporte aéreo e a navegação no comércio de emissões. A Alemanha pretende persuadir a União Européia a estabelecer metas de emissão de gases-estufa. A idéia é que, a partir de 2012, veículos novos não produzam mais de 130g de CO2 por quilômetro. (sm)

Leia mais