1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Migração

Alemanha considera usar aviões militares para deportações

Em caso de esgotamento das possibilidades de transporte aéreo civil, Berlim analisa a utilização de aeronaves do Exército para acelerar o repatriamento de migrantes cujos pedidos de asilo tenham sido rejeitados.

A Alemanha está analisando a utilização de aeronaves militares para repatriar migrantes cujos pedidos de asilo foram rejeitados, disse a ministra da Defesa Ursula von der Leyen nesta quarta-feira (21/10).

"Obviamente, o uso do Transall [aeronave de transporte militar] não está descartado. Mas somente no caso em que todas as capacidades de transporte civis estiverem esgotadas e se não afetar missões prioritárias do Exército alemão. Então, tais transportadores podem vir a ser uma opção", disse Von der Leyen.

Com a expectativa recorde de ao menos um milhão de requerentes de asilo na Alemanha neste ano, Berlim quer acelerar o processo no qual as pessoas rejeitadas sejam devolvidas rapidamente aos seus países de origem, a fim de liberar recursos para fornecer o apoio necessário para aqueles que fogem de guerras e perseguição.

O porta-voz do governo federal alemão, Steffen Seibert, disse que é a prioridade é usar aviões civis. "Mas no caso em que a capacidade civil se tornar insuficiente, vamos averiguar o possível uso de aeronaves militares", completou.

Além do avião militar Transall, que pode transportar entre 50 e 60 pessoas, o Exército alemão possui dois Airbus 310 destinados a levar tropas alemãs e com capacidade para 200 passageiros cada.

Também nesta quarta-feira, o tabloide alemão Bild publicou uma matéria justamente sobre a possibilidade do uso de aviões militares para deportar refugiados. Segundo o texto, o número de requerimentos de asilo na Alemanha é atualmente muito maior do que o número de deportações.

Enquanto muitos dos refugiados chegando à Alemanha estão fugindo do Oriente Médio, aproximadamente um terço é considerado migrante econômico, de países como Albânia e Kosovo, e estão ais expostos a serem deportados.

PV/afp/rtr/dpa/ap

Leia mais