1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemanha bate recorde mundial de medalhas

Nunca um país conquistou tantas medalhas numa olimpíada de inverno como a Alemanha em Salt Lake City. Friesinger fatura ouro estabelecendo novo recorde mundial na prova de 1500 metros da patinação de velocidade.

default

Anni Friesinger acena para o público após quebrar o recorde mundial nos 1500 metros

No 13º dia da 19ª Olimpíada de Inverno, os atletas alemães registraram dois recordes mundiais, um conseqüência do outro. Ao arrebatar mais três na quinta-feira, a Alemanha soma agora 31 medalhas em Salt Lake City (EUA).

Até então, as maiores coleções numa mesma olimpíada eram compostas por 29 medalhas, feito obtido pelos próprios alemães em 1998, em Nagano (Japão), e pela antiga União Soviética em 1988 em Calgary (Canadá).

Classificação geral - Apesar do recorde e de possuir o maior número de medalhas na capital do estado norte-americano de Utah, a Alemanha não lidera oficialmente a competição, pois o ranking olímpico é definido pela quantidade de medalhas de maior valor.

Assim, a Noruega segue à frente, com dez medalhas de ouro, contra nove da Alemanha e oito dos Estados Unidos. Ao todo, os noruegueses somam 18 medalhas e os americanos, 26. A Alemanha tem ainda 15 de prata e sete de bronze.

A patinadora Anni Friesinger foi quem abriu o caminho para a grande coleção. Nas finais das provas de 1500 metros, a alemã bateu o recorde mundial da prova (1min54s02) e faturou ouro. Sabine Völker a acompanhou, ficando com a de prata, igual medalha conquistada pela equipe masculina de biatlo, no revezamento 4x7,5 km.

Progresso relativo – A façanha do novo recorde de medalhas alemão deve, porém, ser relativizada, pois os Jogos Olímpicos de Salt Lake City estão distribuindo mais medalhas que anteriormente. Walther Tröger, chefe da delegação recorde de 161 atletas alemães, reconhece que "o programa ganhou mais dez competições e isto reflete-se no grande número de medalhas conquistadas". Por exemplo, os alemães subiram ao pódio nas estréias das provas femininas de bobsled (prata e bronze) e de sprint no cross country (duas vezes prata).

Tudo indica que a briga pelo primeiro lugar no quadro de medalhas continuará até domingo, quando a Olimpíada se encerra com a final do torneio de hóquei no gelo. Os Estados Unidos chegaram à semifinal da modalidade, ao eliminarem justamente os alemães por 5 a 0 na quinta-feira. A Noruega também já está fora.

A concorrência – A liderança norueguesa não causa surpresa nos concorrentes. O país escandinavo já pertence ao rol dos três melhores países em esportes de inverno desde a Olimpíada de 1992, em Albertville (França). Além disto, seis das dez medalhas de ouro foram conquistadas por dois atletas. Ole Einar Björndahlen arrebatou quatro, e Kjetil-André Aamondt, duas.

Os americanos igualmente vivem momento de ascensão. Em Nagano, despontaram em quinto lugar com 13 medalhas e há sete anos investem 18 milhões de dólares num programa de incentivo ao esporte de inverno, com a meta de marcar presença nos pódios de Salt Lake City.

Links externos