Alemanha avalia retirar carteira de motorista de pai que não paga pensão alimentícia | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 10.08.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemanha avalia retirar carteira de motorista de pai que não paga pensão alimentícia

"Quem tem dinheiro para um carro também deve ter para o filho", afirma ministra da Família. Já ministro da Justiça quer ampliar a pena para vários crimes e delitos: "Ser impedido de dirigir é mais eficaz do que multar."

A ministra alemã da Família, Manuela Schwesig, levantou nesta terça-feira (09/08) a possibilidade de retirar a carteira de motorista também de pagadores de pensão alimentícia que estejam inadimplentes. "Não está certo alguém colocar um filho no mundo, se separar e daí não estar disposto a pagar pensão para a criança", disse.

Um estudo aponta que, na Alemanha, 75% das mães solteiras recebem pensão insuficiente ou não recebem nada de seus ex-parceiros. A ministra afirmou que é necessário mais rigidez. "Quem tem dinheiro para um carro também tem que ter dinheiro para o próprio filho", argumentou Schwesig.

Assistir ao vídeo 04:43
Ao vivo agora
04:43 min

Co-parenting muda conceito de família

O ministro da Economia e vice-chanceler federal, Sigmar Gabriel, apoiou a ideia, afirmando que a remoção da carteira de motorista é um "meio adequado" para combater o alto número de pais que deixam de pagar pensão. O Estado tem que ter mais meios para fazer com que eles cumpram suas obrigações, afirmou.

Se depender do ministro da Justiça, Heiko Maas, a pena poderá valer também para outros casos. Ele pretende apresentar ainda neste ano um projeto de lei que prevê a perda da carteira de motoristas como uma possível pena para pessoas que forem condenadas por crimes ou delitos.

O projeto considera a remoção da carteira de habilitação como possível sanção para diversos crimes e delitos, afirmou Maas à edição da revista Der Spiegel do último fim de semana. Entre eles estão sonegação fiscal, roubo e agressão física.

"Há casos, como os de pessoas abastadas, nos quais uma multa em dinheiro não surte efeito. Já a remoção da carteira de motorista teria efeitos perceptíveis", afirmou o ministro.

O Automóvel Clube Alemão (ADAC) criticou a proposta, afirmando que aqueles que têm dinheiro podem pagar um táxi ou pensar em outra alternativa caso sejam proibidos de dirigir.

O sindicato dos policiais alemães, por sua vez, afirmou que a medida restringiria a liberdade de movimento e, em algumas circunstâncias, impossibilitaria até que a pessoa exercesse sua profissão.

A iniciativa remete ao acordo de coalizão fechado entre a União Democrata Cristã (CDU), a União Social Cristã (CSU) e o Partido Social-Democrata (SPD) há três anos, que já previa a proibição de dirigir como alternativa à multa em dinheiro. Desde então, houve uma série de propostas quanto à retirada da carteira de habilitação no caso de delitos que não tenham nenhuma relação com o trânsito. Em 2015, falou-se sobre a aplicação da sanção a sonegadores de impostos.

LPF/dpa/epd/kna/ots

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados