1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Alemão mais rico é dono de supermercados populares

Os irmãos Theo e Karl Albrecht ocupam a 3ª posição na lista mundial de milionários, divulgada pela Forbes.

default

Supermercado Aldi

De cada dois milionários um é americano. Mas no total, seu número é menor que no ano passado. 83 ricos desapareceram da lista da Forbes, 28 fizeram aí sua aparição. Os milionários do mundo vivem em 43 países.

A lista dos alemães é liderada pelos irmãos Theo e Karl Albrecht, proprietários da rede de supermercados populares Aldi. Vendendo artigos de primeira necessidade em lojas onde os produtos ficam expostos dentro das próprias caixas para economizar custos, eles acumularam uma fortuna de US$ 27 bilhões, 2 bilhões a mais que em 2001.

No ranking mundial, os irmãos Albrecht ocupam a terceira posição. Na primeira continua Bill Gates, o fundador da Microsoft, que mesmo tendo perdido US$ 6 bilhões lidera a lista da Forbes pelo oitavo ano consecutivo, com uma fortuna de US$ 52,8 bilhões. Em segundo está Warren Eward Buffett, investidor americano que acumula US$ 35 bilhões. Ele perdeu US$ 2,4 bilhões nos seus negócios do setor de seguros, por causa dos atentados terroristas de 11 de setembro.

Milionários alemães – O magnata alemão da mídia Leo Kirch foi o grande perdedor do clube dos milionários. Sua fortuna diminuiu US$12 milhões no ano passado, valendo agora apenas US$ 1 bilhão.

Outros alemães ficaram mais ricos. Johanna Quandt, uma das proprietárias da montadora BMW ganhou US$ 600 milhões e sua fortuna atinge hoje US$ 18,4 bilhões, o que a coloca na 12ª posição. Michael Otto faturou no comércio a varejo e por reembolso postal US$ 6,5 bilhões (40ª). Neste mesmo ano as irmãs Schckedanz fizeram fortuna de US$ 4,5 bilhões (70ª). O editores Hubert Burda e Heinz Bauer têm respectivamente US$ 2,9 bilhões (138ª) e US$ 2,6 bilhões (152ª).

Nova Economia – Os milionários da chamada Nova Economia caíram de posição, sobretudo os galiões da internet e outros setores da tecnologia de comunicação. No setor da mídia houve grandes flutuações. Ted Turner, o fundador da CNN, perdeu 50% de sua fortuna. Em geral, o ano passado foi duro para os milionários, por causa da fraca conjuntura mundial e dos atentados terroristas, conforme explicou Luisa Kroll, redatora da Forbes.

Desiquilíbrio - A lista atesta também o desequilíbrio da distribuição da renda mundial. Em todo o continente africano só há apenas dois milionários, na África do Sul. Na Ásia são 70, 15 a menos que no ano passado. Na América Latina encontram-se 25, dos quais 7 brasileiros.

Os primeiros representantes do Brasil na lista são os banqueiros Moise e Joseph Safra, em 87ª lugar, com uma fortuna de US$ 4 bilhões. O próximo é o empresário Antônio Ermírio de Moraes, que ocupa a 103ª colocação, com US$ 3,6 bilhões.

Na América do Sul não surgiu nenhum novo milionários no ano passado e a China, por exemplo, tem no momento apenas um representante na lista dos mais ricos.

Perfil – O perfil da lista da Forbes permanece praticamente inalterado: 237 milionários acumularam sua riqueza por conta própria, 25 têm menos de 40 anos, 33 são divorciados e 27 não completaram seus estudos.

Links externos