1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemão bom de briga

Sven Ottke é o primeiro alemão nato a acumular títulos de duas organizações mundiais de pugilismo.

default

Sven Ottke acerta Byron Mitchell durante a luta de sábado em Berlim

Com a vitória por pontos sobre o norte-americano Byron Mitchell, na noite de sábado em Berlim, o pugilista Sven Ottke (35) é o primeiro alemão nato a deter o cinturão de campeão mundial tanto da Federação Internacional do Boxe (FIB) quanto da Associação Mundial de Boxe (AMB), o que lhe dá o direito de usar o título de Super World Champion.

Antes de Ottke, somente Dariusz Michalczewski deteve simultaneamente dois títulos mundiais. No entanto, quando do feito, o pugilista era alemão naturalizado e hoje já luta novamente por seu país natal, a Polônia.

Nascido em Berlim, em 3 de junho de 1967, e residente em Karlsruhe, Sven Ottke encontra-se no auge de sua carreira. O lutador da categoria dos supermédios aderiu relativamente tarde, aos 14 anos de idade, a esse esporte. Antes, aprendeu a profissão de estucador e foi jogador de futebol juvenil de pouco brilho. Desde 1981, o ringue é o principal palco de sua vida.

Começou lutando pela associação de boxe amador Spandauer BC Berlin. Pernas rápidas, ataques fulminantes e um bom golpe de vista rederam-lhe os primeiros títulos internacionais: o de campeão europeu em 1991 e 1996, e a medalha de bronze no campeonato europeu de 1993. Além disso, foi segundo colocado nos campeonatos mundiais de boxe amador de 1989 e 1991.

Ottke, que venceu 286 de suas 335 lutas, sempre se considerou um "pugilista amador por convicção". Depois de sua derrota na Olimpíada de 1996, em Atlanta, disse que nunca iria para o boxe profissional, para não arruinar sua saúde. Em março de 1997, porém, mudou de opinião e assinou um contrato com o empresário Wilfried Sauerland, que promove pugilistas profissionais.

A prova de que tomou a decisão certa veio logo com a vitória na categoria dos super-ligeiros contra o campeão mundial Charles Brewer (EUA), em 1998, em Hamburgo. Desde então, Ottke parece tornar-se mais forte a cada luta. Ele já mantém-se invicto há 30 lutas e sustenta o título mundial há 18. "A luta de Berlim não foi a mais difícil, mas a mais importante de minha carreira", disse depois de derrotar Byron Mitchell.

Apesar do sucesso, Ottke, casado, dois filhos, planeja abandonar o ringue daqui a um ano. Mas antes disso, em junho deste ano, terá de defender o título contra Antwun Echols (EUA), que está entre os primeiros no ranking das três grandes associações mundiais de boxe. No entanto, ele ainda tem um objetivo: conseguir acumular o título de campeão pelas três principais organizações mundiais de boxe.

Leia mais