1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Futebol

Alemães entre cautela e euforia após goleada do Bayern sobre Barcelona

Imprensa coloca alemães na final da Liga dos Campeões, mas jogadores e técnico optam pela prudência, apesar da vantagem de 4 a 0. Espanhóis criticam arbitragem e questionam trabalho do técnico Tito Vilanueva.

Na Alemanha, euforia por parte da imprensa e torcedores, e uma cautela quase protocolar entre jogadores e comissão técnica. Na Espanha, um misto de decepção, queixas sobre a arbitragem e críticas ao trabalho do técnico Tito Vilanova.

A goleada de 4 a 0 sobre o Barcelona, nesta terça-feira (23/04), descrita por Franz Beckenbauer como inimaginável, colocou o Bayern de Munique com um pé na final da Liga dos Campeões. E expôs a boa fase do time bávaro, campeão alemão com seis rodadas de antecipação, e o momento de questionamentos sobre o time catalão, antes inconteste melhor do mundo.

"Não imaginávamos esse resultado nem em nossos sonhos mais ousados", disse Beckenbauer, presidente do Bayern, após o jogo. "Não poderia ter sido melhor. As chances de uma final entre dois times alemães aumentou."

Champions League 2012/13 Halbfinale FC Bayern München FC Barcelona

Goleiro Valdes não consegue evitar gol de Müller

Heynckes: "Faltam 90 minutos"

A euforia de Beckenbauer se refletiu na imprensa alemã. "O Messi do Bayern se chama Thomas Müller", escreveu o tabloide Bild, em referência ao autor de dois dos quatro gols da vitória bávara. "O jogo de volta é só uma formalidade. O Bayern estará em Wembley em 25 de maio."

Mais prudente, porém não menos otimista, o tradicional Süddeutsche Zeitung, de Munique, disse que o Bayern está "a caminho de ser o melhor do mundo". E lembrou que a última derrota de Messi por um placar tão alto fora nas quartas de final da Copa de Mundo de 2010, também por 4 a 0, e justamente contra a Alemanha.

Bayern e Barcelona voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, na Espanha. E, pelo menos no discurso oficial, Müller fez questão de ressaltar que, para os alemães, nada está ganho. Segundo ele, o time terá que provar que a "magia do Camp Nou" não existe.

Tom parecido adotou o técnico Jupp Heynckes: "Estamos, naturalmente, contentes com o resultado, mas sabemos que ainda nos restam 90 minutos antes de chegar à final. Teremos que jogar na Espanha com a mesma disciplina de hoje [terça-feira]".

"Um Barça vazio"

Do lado espanhol, o time lamentou o desempenho, mas não jogou a toalha. O atacante argentino Lionel Messi disse que é complicado, porém não impossível reverter o resultado em Barcelona. Ele garantiu, ainda, estar curado da lesão muscular que limitou sua atuação por quase 15 dias, embora admita que seu condicionamento físico não estava 100%.

Champions League 2012/13 Halbfinale FC Bayern München FC Barcelona

Argentino Lionel Messi voltou de lesão após quase 15 dias

"O resultado talvez tenha sido um pouco exagerado, mas eles foram superiores", disse, por sua vez, o meia Xavi. "Temos que tentar por orgulho, porque somos o Barça e vamos buscar o milagre, ainda que saibamos ser praticamente impossível."

Os jornais esportivos espanhóis Sport e Mundo Deportivo também consideraram o placar exagerado e atribuíram isso, em parte, à atuação da arbitragem. Para ambos, dos quatro gols do Bayern, pelos menos o segundo (de Mario Gomez) e o terceiro (de Robben) foram irregulares.

"Pancada histórica", titula o diário Marca em sua edição desta quarta-feira. "Sem Messi, um Barça vazio", continua. O jornal As, que também critica a arbitragem, foi às bancas no mesmo tom. "O Barça confirmou em Munique todos os seus sintomas ruins. É o fim do ciclo."

A maioria dos jornais e comentaristas esportivos espanhóis criticou o fato de que, apesar do desempenho abaixo da média do time, o técnico Tito Vilanueva só tenha feito a primeira substituição a sete minutos do fim do jogo, com o placar em 4 a 0 para o Barcelona.

RPR/afp/dpa/rtr

Leia mais