1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Alemã é seqüestrada no Afeganistão

Funcionária alemã de organização de ajuda humanitária é seqüestrada por quatro homens em restaurante de Cabul. Vídeo veiculado por emissora local mostra refém.

default

Polícia rastreia a região em busca da refém alemã

Uma alemã foi sequestrada em Cabul, capital do Afeganistão. A mulher de 31 anos, natural do sul da Alemanha, é funcionária da organização de ajuda humanitária ora international, sediada em Korbach, no estado de Hessen. A organização cristã envia seus funcionários a vários países do mundo, tendo, no momento, 20 deles no Afeganistão.

"Crime comum"?

A mulher foi levada por quatro homens, quando se encontrava em um restaurante da cidade, em companhia de seu marido, que conseguiu escapar. O ministério alemão do Exterior criou uma equipe de emergência para cuidar do caso, declarou uma porta-voz em Berlim.

A polícia local está rastreando as saídas da cidade, para pelo menos evitar que os seqüestradores deixem Cabul com a refém. Segundo informações de moradores da região, policiais atiraram, sem querer, matando um motorista de táxi durante a busca pelos culpados.

Vídeo

Neste domingo (19/08), uma emissora afegã local veiculou um vídeo, em que a mulher aparece ao lado de um dos seqüestradores, se identifica e diz estar bem. Especialistas em segurança confirmam que se trata da refém alemã, embora o ministério das Relações Exteriores ainda não tenha confirmado a informação.

Vários casos

Um porta-voz talibã revidou a possibidade de que o seqüestro tenha partido da milícia e atribuiu o caso a um "crime comum" e não praticado com fins políticos. Também as autoridades afegãs acreditam que os seqüestradores sejam "criminosos comuns".

O restaurante de onde a mulher foi levada à força não dispõe de dispositivos de segurança como cercas elétricas ou guardas. Segundo testemunhas, os seqüestradores desapareceram com a mulher em um veículo da marca Toyota Corolla, bastante comum no Afeganistão.

O paradeiro do engenheiro alemão Rudof B., de 62 anos, sequestrado no país há um mês, continua desconhecido. Em sete semanas, quatro alemães foram seqüestrados no Afeganistão. Em poder do talibã encontram-se ainda 19 cidadãos sul-coreanos. As negociações para a liberação dos mesmos fracassaram até agora.(sv)

Leia mais