1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Airbus supera Boeing no número de encomendas

A Airbus está construindo um pavilhão especial em Toulouse (França) para fabricar o gigantesco A380, para o qual há 97 pedidos. Airbus e Boeing já se refizeram da crise após o 11 de setembro.

default

Aviões da Airbus na fábrica de Hamburg-Finkenwerder

Os principais fabricantes de aviões, Boeing e Airbus, conseguiram recuperar-se, dez meses após os atentados de 11 de setembro nos EUA, que precipitaram a aviação civil numa grave crise. Os dois concorrentes estão com os livros de encomendas repletos e pela primeira vez a empresa européia conseguiu superar a norte-americana. Enquanto a Boeing recebeu pedidos de 1269 jatos, a Airbus tem 1531 encomendas, inclusive o pedido de dez A380 que a empresa americana de transporte de cargas FedEX confirmou esta semana.

Com isso, a indústria européia tem trabalho para os próximos cinco anos. Em 2002, a Airbus pretende entregar 300 aviões e a Boeing, 380. No próximo ano, cada uma pretende fabricar cerca de 300 jatos. Tanto a Boeing como a Airbus contam com maior produção e entregas a partir de 2004.

Às vésperas de ter início o tradicional Air Show em Farnbourough, na Inglaterra ( de 22 a 29 de julho), o presidente da Boeing anunciou que a empresa está prestes a realizar a metade de seus negócios fora da aviação civil. A meta seria "o pleno equilíbrio" dos setores civil e militar. Já o presidente do grupo EADS, ao qual pertence a Airbus, Rainer Hertrich, mostrou-se satisfeito com o balanço de vendas. As fábricas da Airbus trabalham no limite de sua capacidade, no que praticamente ninguém acreditava no início de 2002.

Pavilhão gigante para o superavião

A Airbus conta com mais de 400 encomendas na Feira de Toulouse, na França, esperando ganhar como cliente a EasyJet, que pretende encomendar 100 jatos para distâncias curtas e médias. Em Toulouse, o presidente Jacques Chirac inaugurou, esta semana, a nova área de montagem do A380 da Airbus, com 50 hectares. O pavilhão especial, que está sendo erguido para abrigar a construção do avião de dois andares e capacidade para 550 a 650 passageiros, tem dimensões incomuns: 500m de cumprimento por 250m de largura e 46m de altura.

A produção será iniciada em Toulouse em 2004, mas as peças já estão sendo fabricadas em outros lugares da Europa. A fábrica de Hamburgo cuidará dos assentos e instalações internas dos novos gigantes dos céus. É a partir de Hamburgo que os A380 serão entregues às companhias aéreas européias e para o Oriente Médio. A Airbus calcula que precisará de mais de 5000 engenheiros para atender à demanda. Nesse meio tempo, foram encomendados 97 unidades do superavião.

Enquanto o Boeing 737, em suas novas versões, é o grande sucesso de vendas do fabricante americano, que acumula 868 encomendas, no caso da Airbus, a preferência se divide entre alguns modelos. O mais vendido é o jatinho A320, para distâncias curtas e médias. Há 524 encomendas deste modelo, do qual já foram entregues mais de mil unidades. As versões A319 e A321, fabricadas em Hamburgo, também contam com um bom número de pedidos: 266 e 167, respectivamente.

No entanto, pelo preço e o volume das encomendas, os projetos mais significativos são os aviões grandes, A330 e A330-200, aos quais virá juntar-se o A380. Há 188 encomendas para o A330, cujo preço oficial, conforme a versão, varia de 138 a 153 milhões de dólares.