1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Airbus anuncia corte de dez mil postos de trabalho

Plano de reestruturação da Airbus prevê o corte de 3700 empregos somente na Alemanha. Em toda a Europa, serão dez mil a menos. Sindicatos protestam em vários países.

default

Tempos nebulosos para a Airbus

Nos próximos quatro anos, o fabricante aeronáutico Airbus vai reduzir nada menos que dez mil postos de trabalho. O anúncio, feito nesta quarta-feira (28/02), confirmou os boatos que já vinham circulando na mídia européia. A Alemanha deve perder 3700 postos, na França serão 3200 a menos, no Reino Unido 1600, na Espanha 400 e na sede do grupo, em Toulouse, mais 1100.

Unidades fechadas

Deutschland Frankreich Airbus Angestellte in Varel

Funcionários na Alemanha reúnem-se após anúncio de cortes

As unidades da EADS (Grupo Europeu de Aeronáutica, Defesa e Espaço) em Varel (Baixa Saxônia) e Laupheim (Baden-Württenberg) devem ser fechadas e a de Hamburgo ficará responsável pela linha de montagem final do modelo A320. Até hoje, a aeronave vinha sendo montada na sede de Toulouse, que agora assume a montagem final do modelo de vôos de longa distância A350.

Apesar dos cortes drásticos, o programa de reestruturação intitulado Power 8 não prevê demissões, garante a direção do grupo. As medidas de enxugamento de pessoal deverão ocorrer através de "flutuação natural" de recursos humanos, negociações por demissões voluntárias e outras medidas semelhantes, afirma a direção da Airbus.

Do comunicado oficial consta que "a diretoria não vê, até agora, necessidade de demissões", pois cinco mil dos postos de trabalho que deverão ser reduzidos dizem respeito a funcionários com contratos temporários ou funções terceirizadas.

Sindicatos protestam

Na Alemanha, os sindicatos e os conselhos de fábrica anunciaram mobilizações em grande escala. "Vamos lutar por cada posto de trabalho", anunciou o IG Metall nesta quarta-feira. Outro ponto de reivindicação é a manutenção de todas as unidades da Airbus hoje em funcionamento no país.

Mesmo considerando que a montagem do A380 e a ampliação da produção do A320 são "decisões positivas" para a Alemanha, a insegurança em todas as unidades do grupo é enorme, afirmam representantes de funcionários.

Campanha eleitoral

Frankreich Präsidentschaftswahlen Kombo Segolene Royal und Nicolas Sarkozy

Royal e Sarkozy: sim e não a intervenções estatais

A candidata do Partido Socialista à presidência da França, Ségolène Royal, declarou em entrevista a uma emissora de TV que pretende impedir o programa de reestruturação da Airbus caso vença as próximas eleições. O Estado francês detém 15% das ações do grupo.

Segundo Royal, a crise da Airbus poderia ser solucionada através de uma intervenção estatal mais rígida. O assunto deverá constar da pauta do encontro entre Royal e a premiê alemã, Angela Merkel, marcado para o próximo 6 de março.

Nicolas Sarkozy, adversário de Ségolène Royal no pleito que se aproxima, declarou ser contrário a quaisquer intervenções estatais na EADS. De acordo com Sarkozy, "os Estados não são necessariamente os melhores acionários", além do fato de que a EADS teria, acima de tudo, "um problema administrativo".

Leia mais