1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

AIEA assegura que Irã diminuiu ritmo de seu programa nuclear

Relatório diz que governo de Teerã mantém enriquecimento de urânio, mas em quantidade menor. País também colabora mais com os inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica.

default

Presidente Mahmud Ahmadinejad defende a continuidade do programa nuclear iraniano

O Irã mantém seu programa de enriquecimento de urânio no centro nuclear da cidade de Natanz apesar das ameaças de sanções das Nações Unidas, mas o processo corre de forma mais lenta do que tem sido divulgado pelo governo de Teerã. Essas informações constam de relatório divulgado nesta quinta-feira (30/08) em Viena pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

O relatório entregue pelo diretor da AIEA, Mohamed El Baradei, se baseia principalmente num acordo acertado entre as duas partes e pelo qual o Irã se compromete a responder dúvidas sobre o seu programa nuclear até novembro.

O texto diz que o Irã melhorou seu trabalho conjunto com os inspetores da agência, esclarecendo pontos obscuros sobre as suas experiências com plutônio. Mas o governo local precisa ainda esclarecer dúvidas sobre a possível existência de urânio altamente enriquecido numa instalação militar.

De acordo com o relatório, o Irã tem produzido uma quantidade muito pequena de urânio enriquecido, insuficiente para a fabricação de uma bomba nuclear. A comunidade internacional acusa o governo iraniano de enriquecer urânio para a obtenção de um arsenal atômico, o que é negado por Teerã.

A França disse que a recente cooperação do Irã não é suficiente para evitar novas sanções por parte das Nações Unidas. Elas só poderão ser evitadas se o país desistir de enriquecer urânio, afirmou um porta-voz do governo francês.

A Alemanha proibiu nesta quinta-feira a venda de armamentos para o Irã. Também será proibida a importação de material bélico do país. Além disso, foi também proibida a exportação de produtos que possam ter uso tanto civil como militar para países europeus caso esses produtos possam vir a ser comercializados com o governo de Teerã. (as)

Leia mais