1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Agropecuária sofre prejuízo milionário

A UE liberou 1,12 bilhões de euros para as regiões alemãs afetadas pelas enchentes e pagamentos prévios de 516 milhões de euros para a produção de grãos. Agricultores alemães repensam métodos de cultivo e administração.

default

As enchentes do Rio Elba destruíram milhares de hectares de colheita

As enchentes causaram à agricultura alemã prejuízos de 267 milhões de euros. Este cálculo se refere apenas a perdas de colheita e de gado, sem incluir danos relativos a instalações e edifícios. Isso foi o que comunicou a ministra alemã da agricultura, Renate Künast, confirmando uma estimativa anterior da Confederação Alemã de Agricultores (DBV).

Produção 10% inferior – De acordo com cálculos da DBV, este ano a colheita de grãos vai render 1,5 milhões de euros menos do que no ano passado (-10%), em decorrência das enchentes, das chuvas e da oscilação de preços no mercado. Desta quantia, as chuvas causaram prejuízos de 570 milhões e as enchentes, perdas de 200 milhões de euros.

Agricultores avaliam – Cerca de 220 mil hectares de superfícies verdes e de plantio foram inundadas. Em milhares de hectares, as perdas agrícolas foram totais. De acordo com a avaliação da DBV, o programa de ajuda dos governos federal e estaduais para os agricultores contém as medidas necessárias para a recuperação das regiões afetadas. No entanto, a associação de agricultores alerta que os recursos de emergência disponibilizados pelo governo são insuficientes e devem ser complementados, para cobrir pelo menos 50% dos prejuízos causados às propriedades agrícolas. A DVB também apelou por um tratamento igualitário de agricultores e empresariado, exigindo – entre outras coisas – condições iguais de empréstimo.

Medidas de ajuda – Os agricultores alemães afetados pelas enchentes podem comprar ração mais barata dos depósitos de intervenção da UE. Além disso, parte das terras produtivas anteriormente desativadas para fins de reflorestamento poderão ser novamente utilizadas para plantio, caso isso possa compensar as perdas de produção das fazendas. A DBV fez, no entanto, outras exigências à União Européia. A confederação quer que a UE eleve o grau de unidade estipulado como critério de intervenção. Os critérios de intervenção da UE estipulam o limite mínimo a partir do qual a comunidade deve intervir no mercado.

Apelo por protecionismo – A Confederação Alemã dos Agricultores também culpou a UE por falta de protecionismo. Doze milhões de toneladas de grãos provenientes da região do Mar Negro teriam invadido o mercado alemão a preços de dumping, levando a uma drástica redução de preços. De acordo com a confederação, as importações desta região teriam triplicado nos últimos anos.