Agricultor francês é multado por ajudar migrantes ilegais | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 10.02.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Agricultor francês é multado por ajudar migrantes ilegais

Tribunal anuncia sentença branda para morador do sul da França que ajudou africanos a cruzarem fronteira e lhes deu abrigo. Após veredicto, ele promete continuar agindo enquanto for necessário.

Cedric Herrou

Cedric Herrou: "Só será uma vitória quando eu não tiver mais que fazer isso"

Um agricultor francês que se tornou um dos símbolos da crise migratória na Europa por ajudar africanos a entrarem no país foi condenado nesta sexta-feira (10/02) a pagar uma multa de 3 mil euros. A sentença é bem mais leve que os oito meses de prisão pedidos pela promotoria.

Cedric Herrou, de 37 anos, foi julgado por auxiliar ilegalmente migrantes a cruzarem a fronteira da Itália com a França e depois lhes fornecer acomodação. A multa é regime suspenso – ou seja, ele terá que pagá-la se voltar a cometer a infração novamente num período fixado pelo juiz.

A advogada de Herrou, Zia Oloumi, afirmou que a corte em Nice, no sul do país, reconheceu que as ações dele foram tomadas "puramente por propósitos humanitários".

Herrou critica abertamente as políticas migratórias do país, que intensificou as medidas de segurança na fronteira nos últimos anos. Apoiadores do agricultor se reuniram diante do tribunal nesta sexta-feira.

"Famílias estão sofrendo"

Após o veredicto, Herrou declarou que não pretende parar de ajudar pessoas que chegam à Europa. "Vamos continuar a agir apesar das ameaças do Estado e da promotoria", disse. "Só será uma vitória quando eu não tiver mais que fazer isso e puder voltar a minha vida normal."

Ao depor no mês passado, Herrou disse que ajudou os migrantes porque isso precisava ser feito. "Famílias estão sofrendo", afirmou o agricultor, umas das várias pessoas julgadas no sul da França recentemente por ajudar migrantes que cruzaram o Mediterrâneo rumo à Europa.

No último dia 7 de janeiro, um tribunal absolveu o pesquisador Pierre-Alain Mannoni, que havia sido condenado a seis meses de prisão suspensa por ajudar migrantes da Eritreia que entraram na França passando pela Itália.

LPF/afp/dpa

Leia mais