Aenne Burda, famosa pela revista com modelos de costura, faria 100 anos | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 28.07.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Aenne Burda, famosa pela revista com modelos de costura, faria 100 anos

Em 1950, ela lançou a revista que leva o seu nome e que ficaria famosa por uma ideia visionária: apresentar as roupas e os moldes para que as leitoras possam costurar seus próprios modelos em casa.

default

Aenne Burda em 1990

Um molde, uma máquina de costura e a moda ao alcance de todas as mulheres alemãs. Foi assim que começou a história fantástica de sucesso de Aenne Burda, que faria 100 anos em 28 de julho de 2009.

A editora de moda mais famosa do século 20 criou, em 1950, a revista Burda Moden , que traz moldes das roupas que são publicadas na revista, para que qualquer leitora possa costurar seu próprio modelo em casa. Com a ideia, Aenne Burda ganhou espaço numa Alemanha marcada pelo pós-Guerra, transformando a moda em algo acessível.

Verlegerin Aenne Burda mit Mann Franz Burda

Aenne Burda e o marido Franz Burda

O começo humilde

Anna Magdalene Lemminger nasceu em 1909, na cidade de Offenburg, sudoeste da Alemanha. A infância foi sem glamour: filha de um maquinista de trem e de uma dona de casa, Anna Magdalene sempre deixou claro, ainda criança, que queria mais da vida.

Por achar o seu nome de batismo um pouco old fashion, Anna Magdalene virou Aenne. A transformação foi inspirada em sua música favorita, Aennchen von Thorau.

Aos 17 anos, sem qualquer diploma, com cabelos curtos – contrariando o padrão da época – ela conseguiu um emprego na companhia de eletricidade de sua cidade natal. Uma de suas funções era cobrar os pagamentos da empresa de impressão Burda. Foi então que Aenne conheceu o filho do empresário: Franz Burda.

O casamento aconteceu em 1931, e o casal teve três filhos: Franz (1932), Frieder (1936) e Hubert (1940). Foi só em 1949, aos 40 anos, que Aenne se lançou na carreira de editora de moda.

A virada na sua vida veio de uma forma curiosa: o marido tinha uma amante e até mesmo um filho fora do casamento, e Aenne foi, como é normal nesses casos, a última a saber.

Quase como "compensação" por ter suportado a infidelidade do marido, Aenne recebeu dele, então senador, a missão de administrar uma editora praticamente falida. E o milagre aconteceu.

Flash-Galerie Cover Burda Moden auf russisch

Capas da revista Burda Moden, publicada em 28 línguas


Moda ao alcance

"Minha ideia era fazer moda para as mulheres que gostam de moda, mas que não têm dinheiro para comprar o que desejam", declarou.

Em 1950, a primeira edição da Burda Moden teve uma tiragem de 10 mil exemplares, vendida a 1,40 marcos alemães o exemplar. A partir de 1952, a revista passou a trazer encartados os modelos de costura que a tornariam famosa.

Em casa, as mulheres podem cortar os moldes que a revista oferece e, depois de algumas horas de trabalho na máquina de costura, vestir sua própria moda, a um custo acessível.

Aenne Burda mit Raisa Gorbatschowa und Mihail Gorbatschow

Raissa Gorbatchov e Aenne Burda

O modelo criado por Aenne Burda foi um sucesso imediato. No começo dos anos de 1960, ela viajou pelo mundo para fazer negócios e contatos no ramo. Aos 77 anos, já conhecida como embaixadora da moda, Burda foi a primeira editora a lançar uma versão de uma revista ocidental na antiga União Soviética, em 1987. Na época, uma foto de Aenne com a primeira-dama Raissa Gorbatchov simbolizou o acordo e foi publicada em todos os jornais.

Aenne Burda faleceu em 3 de novembro de 2005, aos 96 anos de idade, na cidade onde nasceu. Seu legado permanece: a revista Burda é publicada em 28 línguas e distribuída em 90 países pela empresa Hubert Burda. A companhia é atualmente administrada por Hubert Burda, filho do casal.

NP/dw
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais