1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Acordo nuclear iraniano "próximo do fim"

Depois de série de negociações frustradas, representantes de Teerã e do Grupo 5+1 se reúnem neste domingo para chegar a um acordo sobre fim das sanções ao Irã. Negociadores pretendem encerrar conversas até 7 de julho.

Reunidos em Viena, na Áustria, representantes do Irã e de potências mundiais deram continuidade neste sábado (04/07) à maratona de discussões sobre o acordo nuclear iraniano. Segundo diplomatas próximos às negociações, ainda há impasses sobre a suspensão de sanções impostas pelos Estados Unidos, União Europeia e Nações Unidas.

Apesar das incertezas, o ministro do Exterior do Irã, Mohammad Javad Zarif, afirmou que nunca se esteve "tão perto" de se chegar a um acordo.

De acordo com os interlocutores, o grupo 5+1, formado por China, Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia e Alemanha, ainda não chegou a um consenso sobre uma resolução do Conselho de Segurança da ONU que suspenderia as sanções, mas estabeleceria uma forma de recolocá-las em prática, caso o Irã não cumpra as regras estabelecidas.

"Ainda não chegamos a uma resolução do Conselho de Segurança", disse um diplomata à agência de notícias Reuters. Uma autoridade iraniana afirmou que "ainda há diferenças que estão sendo discutidas".

Os negociadores perderam o prazo de 30 de junho para fizalizar as discussões. O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e os demais representantes dos países envolvidos devem se reunir novamente neste domingo para dar impulso às negociações. As potências pretendem chegar a um acordo com o Irã até a próxima terça-feira (07/07).

Em comunicado, Teerã alertou para as consequências negativas de um possível fracasso das conversas. "O outro lado tem tentado todos os tipos de pressão contra o Irã. Se tentar pressionar novamente dessa forma, como [o presidente Hassan] Rouhani disse, a resposta do Irã será com ações mais duras do que o outro lado imagina", disse o porta-voz iraniano para questões nucleares, Behrouz Kamalvandi.

Temores

Os países ocidentais impuseram as sanções com o temor de que o Irã desenvolvesse armas nucleares. Teerã continua a reiterar que o programa nuclear do país tem propósitos civis e científicos.

Neste sábado, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) anunciou que conseguirá concluir as investigações sobre supostos projetos de desenvolvimento de armas nucleares do Irã até o final do ano.

"Com a cooperação do Irã, acho que podemos emitir um relatório até ao final do ano com uma avaliação sobre as questões que possam estar relacionadas com dimensões militares", declarou o chefe da AIEA, Yukiya Amano.

Outros pontos discutidos pelos negociadores são a investigação das Nações Unidas sobre possíveis objetivos militares no programa nuclear iraniano e o pedido do Irã para continuar a desenvolver centrífugas avançadas para purificação de urânio.

KG/rtr/afp

Leia mais