Acordo de Paris entra em vigor em novembro | Meio Ambiente | DW | 05.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Meio Ambiente

Acordo de Paris entra em vigor em novembro

ONU anuncia que meta para dar início à implementação do acordo, que determina diretrizes universais para o combate ao aquecimento global, é alcançada. Obama diz que esta é a melhor oportunidade para salvar o planeta.

A ONU confirmou nesta quarta-feira (05/10) que o Acordo de Paris, que determina as diretrizes universais para o combate ao aquecimento global, entrará em vigor no dia 4 de novembro, após ter sido alcançado o número necessário de países que ratificaram documento para avançar o processo a nível mundial.

"Estou satisfeito em anunciar que o Acordo de Paris cruzará o segundo e último patamar necessário para sua entrada em vigor", disse o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon. "O que parecia impensável agora é incontrolável", acrescentou.

Para entrar em vigor, o acordo necessitava da ratificação de pelo menos 55 países que somassem, no mínimo, 55% de todas as emissões globais. A meta foi alcançada depois que a União Europeia (UE) ratificou o acordo nesta terça-feira.

Uma vez alcançada a meta, um prazo de 30 dias é fixado para que o acordo entre em vigor mundialmente. Estabelecido em dezembro do ano passado, o Acordo de Paris estipula metas para a redução de emissões de gases do efeito estufa e a diminuição de uso de combustíveis fósseis. As medidas visam limitar o aquecimento global ao máximo de 2ºC acima dos níveis pré-industriais.

O presidente americano Barack Obama saudou o anúncio da ONU, afirmando que o acordo é "a melhor oportunidade possível" para salvar o planeta.

"Se seguirmos as metas que estipula o Acordo de Paris, a história poderá julgá-lo como um momento decisivo para nosso planeta", ressaltou Obama. "Nenhuma nação, nem mesma uma tão poderosa como a nossa, pode resolver esse desafio [as mudanças climáticas] sozinha", acrescentou.

CN/efe/ap/afp

Leia mais