1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Acidente de Schumacher completa um ano

Longos dias sob risco de morte, um mês em coma. Maior campeão de Fórmula 1 de todos os tempos continua a luta pela recuperação, um ano depois da queda de esqui que mudou de forma dramática sua vida.

Como tantas outras vezes, Michael Schumacher viajou com a família para os Alpes franceses para passar alguns dias nas montanhas nevadas, celebrar o Ano Novo e comemorar seu aniversário em 3 de janeiro. Mas em 29 de dezembro de 2013, há exato um ano, a vida do heptacampeão mundial de Fórmula 1 mudou dramaticamente.

Por volta das 11 da manhã, Schumacher esquiava a poucos metros ao lado da pista demarcada na estação de Méribel. O ex-piloto acabou passando por cima de uma rocha, perdeu o controle e, na queda, chocou a cabeça contra ma segunda rocha. Ao receber os primeiro atendimentos de uma equipe de socorro, ele estava consciente, mas confuso. Seu capacete estava quebrado.

As lesões eram graves demais para serem tratadas num hospital local, na cidade de Moutiers, perto da estação de esqui. Schumacher então foi levado ao Hospital Universitário de Grenoble, onde passou por uma cirurgia de emergência. A extensão de seus ferimentos ficou clara no dia seguinte. As feições dos médicos falavam por si: com lesões generalizadas no cérebro, a condição de Schumacher era "muito séria".

A notícia do acidente do heptacampeão mundial se espalhou rapidamente. Até a chanceler federal Angela Merkel mostrou-se consternada. "Assim como milhões de alemães, a chanceler federal e os membros do governo alemão se mostraram extremamente desolados, quando souberam do grave acidente de esqui de Michael Schumacher", disse o porta-voz do governo, Steffen Seibert, na época.

Schumacher-Fans zeigen Unterstützung für ihr Idol

Centenas de fãs da Ferrari e de Schumacher foram até Grenoble para reverenciá-lo em seu aniversário

"Saiam da clínica"

Em seu aniversário de 45 anos, em janeiro passado, centenas de fãs de Schumacher e da escuderia italiana Ferrari – pela qual o ex-piloto alemão correu 11 anos e conquistou cinco títulos mundiais –

peregrinaram até Grenoble para prestarem solidariedade ao ídolo

. "Keep fighting, Michael" (continue lutando) era e é o lema de todos os amigos e fãs do ex-atleta.

O acidente de Schumacher também gerou uma cobertura ampla da imprensa mundial. Depois de uma semana, a esposa Corinna foi enfática com os jornalistas: "Saiam da clínica. Por favor, deixem a nossa família em paz". Dias após seu aniversário, em 3 de janeiro, seu marido continuava sua luta pela sobrevivência.

Também durante os testes para a nova temporada, os ex-colegas de Schumacher se mostraram chocados. "Rezo, desejo e espero que aconteça um milagre e que ele acorde do mesmo jeito como era antes", disse o piloto Sebastian Vettel, no final de janeiro.

Volta para casa

Pouco tempo depois surgiu a primeira notícia positiva. A agente do ex-piloto, Sabine Kehm, confirmou que os anestésicos de Schumacher

estavam sendo reduzidos

para "conduzi-lo a um processo de saída do coma, que pode levar bastante tempo".

Michael Schumacher

Há 20 anos, em 13 de novembro de 1994, Michael Schumacher se tornava o primeiro piloto alemão campeão mundial de Formula 1

A investigação sobre as circunstâncias do acidente foram encerradas. O Ministério Público de Albertville chegou à conclusão que o ex-piloto alemão

não estava esquiado em alta velocidade

e que também não houve

participação ou influência externa

.

Foi só na metade de junho que surgiram novas informações sobre o estado de saúde de Schumacher. A agente comunicou que ele já

não estava mais em coma

e que continuaria sua recuperação em Lausanne, na Suíça. Em setembro, por fim, Schumacher foi transferido para a

sua casa no Lago de Genebra

, onde segue o tratamento até hoje.

Um ano depois do acidente, fãs ainda enviam cartas e postam mensagens com desejos de melhoras via Twitter e Facebook. Diariamente, centenas de mensagens são endereçadas ao

site oficial de Schumacher

.

O circuito da Fórmula 1 não esqueceu o vencedor de 91 Grande Prêmios. Quando o piloto inglês Lewis Hamilton conquistou o título mundial de 2014, em Abu Dhabi, o chefe da Daimler, Dieter Zetsche, enalteceu a grande temporada dos carros da Mercedes sem deixar de mencionar Schumacher.

"Não podemos esquecer a contribuição de Michael", disse. Por três anos, de 2010 até 2013, Schumacher correu e trabalhou para a escuderia alemã e, assim como nos tempos de Ferrari, ele ajudou a erguer a equipe Mercedes.

Michael Schumachers Managerin Sabine Kehm nimmt Bambi entgegen

Sebastian Vettel (esq.) entrega o Bambi do Milênio para a agente de Schumacher, Sabine Kehm

Discurso emocionante de Vettel

Aproximadamente dez meses e meio após o acidente e cerca de 20 anos depois de seu primeiro título mundial, Schumacher foi premiado com o Bambi do Milênio – uma premiação alemã anual destinada aos melhores da televisão e mídia, mas que também homenageia personalidades em outras categorias como o esporte.

O discurso para a comovente homenagem foi dado pelo tetracampeão mundial e amigo Sebastian Vettel: "Nesta noite, essa amizade me deixa tão feliz e orgulhoso, mas ao mesmo tempo também me entristece. Desejei tanto poder te entregar este prêmio pessoalmente."

Apenas os mais próximos têm conhecimento do real estado atual de Schumacher. Desde o início, a família deixou claro que detalhes não seriam e nem serão divulgados. Atualmente parece improvável que Schumacher algum dia poderá voltar a praticar qualquer atividade esportiva.

"Ainda há um longo e árduo caminho pela frente", afirmou a agente Sabine Kehm. De acordo com ela, simplesmente é impossível dar um previsão concreta sobre o tempo de recuperação de Michael Schumacher.

Leia mais