Academia Nacional de Ciências define prioridades do futuro | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 15.07.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Academia Nacional de Ciências define prioridades do futuro

Nova academia deverá criar uma ponte entre investigação científica, sociedade e política. A idéia é valorizar o conhecimento científico como parâmetro de orientação para metas governamentais.

default

Presidente alemão, Horst Köhler (dir.), na cerimônia de fundação da Academia Nacional

A Alemanha adquiriu uma Academia Nacional de Ciências, criada a partir da mais antiga academia de medicina e ciências naturais do mundo, a Leopoldina, sediada em Halle. Com isso, a Alemanha segue um modelo já existente nos EUA e em outros países europeus, como a Royal Academy (Londres) e a Académie des Sciences (Paris).

Interdisciplinar e internacional

Em cooperação com oito academias científicas estaduais e com a Academia Alemã de Ciências Técnicas (Acatech), a nova instituição deverá assessorar os políticos e representar a Alemanha em grêmios internacionais.

A iniciativa tem o objetivo de intensificar o diálogo entre ciência, política e sociedade, e conferir um caráter mais internacional às atividades científicas praticadas no país.

Atualmente, a Leopoldina tem 1,3 mil membros, atuantes em 28 diferentes seções. Entre eles, 85% provêm da medicina e das ciências naturais e 15% das ciências sociais e comportamentais empíricas.

A presidência da academia quer garantir uma representação igualitária para todas as disciplinas, criando um grêmio de coordenação paritário, responsável pela definição dos temas a serem investigados. Entre os temas prioritários do século 21 estão a mudança do clima, produção de energia, alimentação, saúde e educação.

De Goethe a Marie Curie

Há mais de 350 anos, quatro médicos instituíram a base da atual Academia Nacional de Ciências. Em 1652, quase uma década antes da fundação da Royal Society em Londres, eles criaram a Academia Naturae Curiosorum em Schweinfurt. A idéia era aprofundar os conhecimentos científicos em prol da humanidade e da natureza.

Essa academia adquiriu renome quando o imperador Leopoldo 1º a promoveu a Academia do Império. Desde então, a instituição manteve a denominação de Sacri Romani Imperii Academia Caesareo-Leopoldina Naturae Curiosorum, da qual provém o atual nome, abreviado em Leopoldina.

Leopoldina in Halle ist Nationale Akademie

Sede da academia, em Halle

Desde 1878, a academia é sediada em Halle, no leste da Alemanha. Anteriormente, durante 225 anos, ela mudava de sede de conforme o local de trabalho de seu presidente.

Mais de 7 mil cientistas de todo o mundo foram membros da Academia Alemã de Ciências Naturais Leopoldina. Marie Curie, Albert Einstein, Gustav Hertz e Carl Bosch fizeram parte do seleto círculo dos ilustres, bem como Alexander von Humboldt, Konrad Lorenz e Johann Wolfgang von Goethe.

Leia mais