1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

A progressão dos manifestos sobre as caricaturas de Maomé

Acompanhe os acontecimentos que levaram aos protestos violentos no mundo árabe contra as charges de Maomé, publicadas em países europeus.

default

A Dinamarca tornou-se alvo da revolta dos muçulmanos

30 de setembro de 2005: O Jyllands-Posten publica as 12 caricaturas. O maior jornal da Dinamarca viola propositalmente o preceito islâmico que proíbe qualquer tipo de representação do Profeta, como forma de manifestação contra a pretensa tendência de autocensura sob pressão de grupos islâmicos.

9 de outubro: Muçulmanos na Dinamarca exigem uma desculpa.

14 de outubro: Dois dos cartunistas precisam se refugiar em virtude das ameaças de morte. 3500 muçulmanos fazem protesto pacificamente em Copenhague.

19 de outubro: Onze embaixadores de países muçulmanos exigem por escrito que o chefe de Estado, Anders Fogh Rasmussen, condene as caricaturas, mas ele se recusa com a justificativa da liberdade de imprensa.

Novembro / dezembro: Uma delegação de imãs dinarmaqueses viaja por diversos países árabes, a fim de organizar protestos.

10 de janeiro de 2006: A Magazinet norueguesa reproduz as caricaturas.

26 de janeiro: A Arábia Saudita chama de volta seu embaixador na Dinamarca. Há semanas, incentiva-se o boicote aos produtos dinamarqueses.

30 de janeiro: O Jyllands-Posten se desculpa por ter ferido os sentimentos religiosos dos muçulmanos. Ao mesmo tempo, Rasmussen vai à TV e se recusa a assumir responsabilidade pela publicação das caricaturas. Palestinos armados atacam um escritório da União Européia em Gaza.

1º de fevereiro: Diversos jornais europeus, entre eles o Die Welt alemão, reproduzem as caricaturas. A Síria convoca seu embaixador de volta da Dinamarca.

4 de fevereiro: Na capital da Síria, Damasco, os manifestantes incendeiam as embaixadas norueguesa e dinamarquesa. As representações sueca e chilena que funcionavam no mesmo lugar também são atingidas pelas chamas. O secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, pede que os muçulmanos aceitem as desculpas do Jylland Posten.

5 de fevereiro: Muçulmanos furiosos colocam fogo no consulado dinamarquês na capital libanesa, Beirute.

6 de fevereiro: Manifestantes queimam a bandeira alemã em Teerã.

7 de fevereiro: Irã suspende relações comerciais com a Dinamarca. (dpa)

Leia mais