1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

A Copa verde

Futebol e meio ambiente. Dois setores em que a Alemanha é potência mundial. Na Copa 2006, governo e comitê organizador querem mostrar isto mais uma vez ao mundo.

default

Maquete do novo Fritz-Walter-Stadion, em Kaiserslautern

A Copa do Mundo de 2006 deve ser um marco histórico na defesa do meio ambiente diante do impacto da realização de um grande evento esportivo. "Durante o mundial, todo o planeta estará olhando para nós e claro que queremos ser exemplares na defesa do meio ambiente", enfatizou o bicampeão mundial Franz Beckenbauer, presidente do Comitê Organizador, ao anunciar o programa Green Goal a ser integrado na concepção da Copa de 2006.

"Futebol é o esporte número um dos alemães. Queremos aproveitar o clima positivo da população com a Copa para fazer algo também pelo meio ambiente", acrescentou o ministro do Meio Ambiente, Jürgen Trittin, um dos idealizadores do plano. Para o político do Partido Verde, é possível realizar um evento esportivo de grande porte sem sobrecarregar ainda mais o meio ambiente.

Pioneirismo e desafio

Com a iniciativa, os anfitriões alemães tornam-se pioneiros no futebol mundial. O catálogo de exigências da Fifa para um país sediar uma copa não inclui preocupações ecológicas. "Desde o início este foi um de nossos temas centrais, o que a Fifa recebeu de bom grado", afirma Beckenbauer. "Nós apoiamos todos os esforços do Comitê Organizador em realizar a Copa do Mundo em consonância com o meio ambiente e pontos de vista ecológicos", saudou Urs Linsi, secretário-geral da federação internacional de futebol.

Beckenbauer ressalta, entretanto, as dificuldades para atingir a meta, especialmente em comparação com os Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000, elogiados internacionalmente como "a olimpíada verde". O Kaiser do futebol alemão chama a atenção para o tamanho do desafio: "Esperamos cerca de 3,3 milhões de espectadores em 12 cidades diferentes." Já as competições de uma olimpíada são concentradas praticamente numa só cidade.

Mas afinal o que é uma Copa verde?

Para um leigo, além de se tratar bem dos gramados dos estádios, o que mais de ecológico se poderia fazer num evento futebolístico? O programa prevê a redução em 20% da quantidade de lixo e do consumo de energia e água nos 12 estádios, em comparação com os padrões atuais do Campeonato Alemão (Bundesliga). O índice vale também para as emissões de gases dos veículos que transportarão torcedores e jornalistas para os 64 jogos do mundial. A ambiciosa meta é promover o primeiro grande evento esportivo do mundo neutro para o meio ambiente.

"Queremos usar como padrão na Copa as melhores experiências práticas que temos", diz Trittin. Os projetos incluem maior integração dos transportes públicos, para que sejam usados ao menos pela metade dos visitantes, aproveitamento de água de chuva, embalagens reutilizáveis e uso de energias renováveis. "Existem muitas alternativas de otimização que são também economicamente rentáveis", observa Christian Hochfeld, do Instituto Ecológico (Öko-Institut), de Freiburg, responsável pela elaboração do Green Goal.

Quanto será preciso investir para se realizar "a Copa verde", ainda é uma incógnita. "Ainda não podemos avaliar, pois os estádios são muito diferentes uns dos outros", explica o cientista. Duas linhas de financiamento já estão garantidas, num total de 600 mil euros. Metade será disponibilizada pelo Comitê Organizador e a outra caberá à Fundação Alemã de Meio Ambiente (BDU), que já custeou os 90 mil euros gastos na elaboração do programa.

Leia mais

Links externos