1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

A bola vai rolar de novo

Campeonato Alemão recomeça quase como terminou o primeiro turno. Favoritismo do Bayern de Munique não mudou. Times contratam poucos reforços. Dois jogadores brasileiros se vão, um chega. Trio de arbitragem vira quarteto.

default

Últimos retoques nos estádios para a reta final da Bundesliga

Entre os 18 treinadores da primeira divisão, reina quase unanimidade. Doze estão certos de que o Bayern de Munique conquistará em maio seu 18º título da Bundesliga. "Somente eles podem parar a si mesmos", afirma Frank Neubarth, do Schalke, lembrando que o líder possui vantagem de seis pontos sobre o Borussia Dortmund e o Werder Bremen. Além do mais, o Bayern não tem mais o desgaste da disputa da Liga dos Campeões e pode se concentrar na briga do Campeonato Alemão.

Apenas Benno Möhlmann não leva fé no recordista de títulos do país. "Eu aposto no Borussia Dortmund", diz categório o técnico do Arminia Bielefeld. Outros dois consideram o Bayern favorito, mas não descartam as chances do atual campeão. Três treinadores esquivaram-se de apontar os candidatos. Entre eles, Matthias Sammer, do Dormund: "Já mostramos na última temporada ser possível tirar a vantagem do líder. Mas, ao contrário do Bayern, ainda temos a sobrecarga da Liga dos Campeões. Entretanto, isto pode ser uma vantagem. Depende dos resultados", pondera o mais jovem treinador campeão alemão.

Suspense no alto e no fim da tabela

Presidente do clube bávaro, Franz Beckenbauer respalda Sammer. "Não haverá uma marcha triunfal do Bayern, pois a concorrência é forte demais. É claro que o Dortmund é o maior concorrente, apesar da sobrecarga da Liga dos Campeões. Ela não precisa ser uma desvantagem, como nossa experiência mostra. Nos campeonatos internacionais, pode-se buscar motivação para a Bundesliga", avalia o Kaiser do futebol alemão.

Se vantagem de seis pontos é irrecuperável, então o campeão alemão de 1998 pode se preparar para a segunda divisão. O Kaiserslautern está na penúltima colocação e sua diferença para o primeiro posto fora da zona de rebaixamento é exatamente igual a que o Bayern de Munique sustenta sobre os vice-líderes. Ao todo, meia dúzia de clubes luta diretamente contra o perigo de jogar na segundona na próxima temporada, inclusive o Bayer Leverkusen.

Depois de um primeiro turno morno, a torcida espera jogos mais empolgantes. Como de hábito, o primeiro semestre após a Copa do Mundo de 2002 registrou alta queda de produção. As principais estrelas da Bundesliga mostraram cansaço físico e mental e não renderam em campo.

Reforço oriental

Os torcedores verão poucas caras novas nos gramados. Iniciada há quase um ano com a falência do Grupo Kirch, que detinha os direitos de transmissão da Bundesliga, a crise financeira intimidou os clubes na busca de reforços. Se no inverno retrasado eles ainda haviam investido 45 milhões de euros em novos jogadores no recesso de inverno e 25 milhões no passado, desta vez a soma não chegará a 10 milhões.

Em seu esforço em conseguir uma vaga na Copa da Uefa, o Wolfsburg foi o que mais abriu o cofre. Gastou 1,9 milhão para contratar dois Pablos: o guineano Thiam (ex-Bayern de Munique) e o argentino Quatrocchi (ex-Estudiantes de La Plata). Também ganhou as manchetes as investidas do 1860 Munique e do Hamburgo no oriente. O time da capital bávara trouxe o meio-campista Jiayi Shao, estrela do futebol chinês, enquanto o clube do norte buscou o atacante Naohiro Takahara, eleito "jogador do ano" no Japão.

Brasileiros, velhas estrelas e o quarto juiz

O número de brasileiros no returno diminuirá a princípio para 28. Lanterna do campeonato, o Energie Cottbus rescindiu o contrato do atacante Brasília (ex-Central de Caruaru e Pogon da Polônia) e aposentou Franklin (ex-Fluminense e Bragantino), que entretanto continuará no clube do leste alemão como técnico dos juvenis. Ameaçado também está o meio-campo Ratinho, colocado à disposição pelo Kaiserslautern – o período para transferências termina no dia 31. A novidade brasileira na Bundesliga será o zagueiro Vinícius, contratado por empréstimo pelo Hannover 96 ao Ituano de São Paulo.

Nos próximos meses, o público poderá também matar as saudades de dois jogadores da Seleção Alemã que, lesionados, não atuam desde antes da Copa do Mundo. Ex-Hertha Berlim, o armador Deisler fará finalmente sua estréia com a camisa do Bayern de Munique e o capitão Novotny em breve voltará a fazer dupla com Lúcio na zaga do Bayer Leverkusen.

E já que os clubes não investiram tanto em reforços, a arbitragem o fez. A partir da 18ª rodada, que reabre o Campeonato Alemão neste sábado, todas as partidas passam a ter um quarto juiz. Já adotado com sucesso em vários países, o novo auxiliar ficará encarregado de controlar técnicos e jogadores reservas, para que os bandeirinhas possam se concentrar mais no que rola dentro de campo.

Leia mais