1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Ação policial contra protesto em Stuttgart foi ilegal

Tribunal considera que polícia não poderia ter usado gás de pimenta e jatos d'água contra manifestantes que pediam fim do projeto Stuttgart 21, numa manifestação em setembro de 2010. Mais de cem pessoas ficaram feridas.

default

Em 30 de setembro de 2010, polícia usou jatos d'água para dispersar manifestantes

Depois de cinco anos, a violenta ação da polícia contra manifestantes em Stuttgart, duramente criticada na época, foi considerada ilegal nesta quarta-feira (18/11) pelo Tribunal Administrativo da cidade.

A intervenção da polícia contra pessoas que protestavam contra as obras do projeto

Stuttgart 21

, que prevê a completa reformulação da estação central de trens da cidade, deixou mais de cem feridos.

Os manifestantes protestavam contra o corte de árvores centenárias e a remodelação bilionária da estação ferroviária da cidade, parte da qual é patrimônio histórico.

O tribunal considerou que o protesto de

30 de setembro de 2010

era, do ponto de vista lega uma reunião e que, nesse caso, a Lei Fundamental (Constituição alemã) prevê alguns impedimentos para ações policiais. A polícia pode agir em casos de delitos individuais, mas não pode dispersar esse tipo de protesto com gás de pimenta, jatos d'água e violência contra os manifestantes, como foi o caso em Stuttgart.

Cerca de 700 policiais participaram da ação contra 5 mil manifestantes. Pelo menos 130 pessoas ficaram feridas, sendo que 16 tiveram de ser hospitalizadas.

O tribunal também considerou que a intervenção policial foi exagerada. A ação julgada nesta quarta-feira foi promovida por sete vítimas, entre elas um homem que ficou quase cego após ser atingido nos olhos por um jato d'água.

Com a decisão, aumentam as chances de as vítimas conseguirem uma indenização. Ela precisa, no entanto, ser solicitada numa ação judicial.

CN/dpa/ots

Leia mais