1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

50 anos da DW: Seriedade e credibilidade

Um ato festivo no antigo plenário do Parlamento alemão em Bonn marcou o início dos festejos dos 50 anos da Deutsche Welle. O presidente alemão Johannes Rau elogiou o exitoso trabalho da emissora.

default

A sede da Deutsche Welle inaugurada em Bonn

A Deutsche Welle (DW) conquistou uma "excelente reputação de seriosidade e credibilidade", disse o presidente da república, Johannes Rau, na solenidade em comemoração do cinquentenário da emissora. Seus programas em vários idiomas, transmitidos a todo o mundo, seriam um investimento "do qual a Alemanha não mais pode prescindir". Como emissora de direito público, a DW não é estatal, embora seja financiada com recursos do orçamento federal.

Seria importante divulgar uma imagem que corresponda à realidade da Alemanha em sua "diversidade colorida". "De sã consciência podemos angariar simpatias para o país como ele é", disse Rau. Paralelamente, a oferta de informações objetivas da emissora em seus programas em línguas estrangeiras é necessária e requisitada principalmente onde há guerra e reinam censura e falta de informações. Neste terreno, a Deutsche Welle prestaria uma contribuição essencial para o esclarecimento.

Nova sede em Bonn

Além do jubileu, a Deutsche Welle festejou também a inauguração de sua nova sede em Bonn. Depois do edifício de 31 andares em Colônia, que teve que ser abandonado devido à contaminação de amianto, a construção conhecida como Schürmannbau - pelo arquiteto que a projetou - agora é seu novo domicílio na ex-capital alemã. Mais de mil funcionários trabalharão ali, quando for concluída a mudança, que está sendo realizada por fases. Eles são responsáveis por programas de rádio em mais de 30 idiomas e pelas atividades online da emissora. A televisão DW continuará operando a partir de Berlim.

A DW é "um sólido pilar da política cultural exterior", disse a encarregada de Cultura e Mídia do governo, Christina Weiss. Em muitos países, a Deutsche Welle é uma importante fonte de informação. As diretrizes gerais para a emenda da lei que regulamenta o funcionamento da emissora já não são objeto de controvérsias. Berlim fará o necessário para garantir o financiamento a médio prazo da DW, garantiu Christina Weiss, que faz as vezes de ministra da Cultura, num país em que esse cargo oficialmente não existe, pois a cultura é de alçada dos estados federados. Uma garantia de planejamento financeiro por um período de cinco anos muito contribuiria para documentar a plena autonomia da DW em relação ao Estado, disse o diretor-geral da emissora, Erik Bettermann.

Das ondas curtas a empresa multimídia

A DW tornou-se uma "instituição altamente apreciada" internacionalmente, segundo o vice-presidente da cadeia alemã de emissoras de direito público ARD e diretor-geral da emissora WDR, Fritz Pleitgen. De uma rádio de ondas curtas, ela se transformou numa empresa com um programa multimídia. "A Deutsche Welle não fica nada a dever às outras emissoras internacionais", disse Pleitgen.

A primeira transmissão da DW em alemão por ondas curtas deu-se em 3 de maio de 1953. Um ano depois teve início a transmissão de programas em inglês, francês, espanhol e português. Hoje, cerca de 1500 funcionários de mais de 60 países são responsáveis pela programas da televisão DW, pela rádio DW e a página dw-world.de.

A função da Deutsche Welle está fixada em lei: "transmitir aos ouvintes no exterior uma ampla imagem da vida política, cultural e econômica da Alemanha, expondo-lhes e explicando-lhes as opiniões alemãs sobre questões relevantes."

A emenda à lei da DW, que deve ser votada ainda este ano, visa sobretudo modernizar o perfil da emissora e suas tarefas, dando-lhes maior abertura para o mundo. No futuro, a Deutsche Welle deverá ser um fórum no qual a Alemanha se apresente como nação cultural européia e democracia constitucional.

Leia mais