1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

27% dos estudantes alemães deixam universidade sem terminar curso

Pesquisas detectam alto índice de desistência entre os universitários do país. Falta de motivação e nova orientação profissional são algumas das razões que levam ao abandono dos cursos superiores.

default

Estudantes em frente à Universidade de Heidelberg, a mais antiga da Alemanha

Cerca de 27% dos estudantes alemães deixam a universidade sem levar para casa o diploma. A Pesquisa sobre Interrupção do Ensino Superior, realizada pela Universidade de Hanôver e publicada pela revista semanal Focus, acusa 42% de desistências entre os estudantes da área de Ciências Humanas.

Nos cursos de Letras e Ciências Culturais, o percentual é de 41%, enquanto 37% dos estudantes de Informática e 31% dos de Economia deixam de concluir o curso que começaram. O percentual mais alto de persistência está entre os estudantes de Medicina: apenas 8% destes abandonam o curso antes de concluí-lo.

Os motivos do abandono da universidade entre os estudantes alemães são nova orientação profissional (17%), problemas financeiros (17%), falta de motivação para os estudos (16%) e baixo rendimento (11%).

Desperdício - A ministra alemã da Educação, Edelgard Bulmahn, afirma que "este altíssimo índice de desistências significa um desperdício tanto do tempo dos estudantes quanto dos recursos das universidades". O ensino superior alemão é, em sua maior parte, público, financiado principalmente pelos estados.

Nos resultados da pesquisa realizada em Hanôver, é possível observar que o número de estudantes que não finalizam o curso é bem maior nas universidades (30%) do que nas escolas técnicas superiores (22%).

Bulmahn credita a falta de motivação dos estudantes tanto ao conteúdo das aulas quanto a currículos universitários muito sobrecarregados. Segundo a ministra, as universidades devem rever seus conceitos e criar um esquema melhor de informação aos estudantes. Bulmahn conclamou as universidades do país a uma melhora imediata do ensino, bem como do contato entre professores e estudantes.

Prática - O presidente da União dos Reitores de Universidades, Klaus Landfried, acentua que "o índice de estudantes que abandonam os estudos é menor em programas de ensinos bem estruturados e voltados para a vida profissional". Landfried reivindica ainda uma melhor seleção dos alunos que iniciam o curso superior.

No primeiro ano letivo, segundo ele, deveriam ser feitas várias provas, em todas as cadeiras, que seriam decisivas para detectar a aptidão dos estudantes principiantes. "O critério de seleção atual ( Abitur) não é mais suficiente".

Mais drástica ainda é a visão do presidente da União dos Professores Alemães, Josef Kraus: "Muitos dos alunos que passaram pelo Abitur (critério de seleção de universitários em vigor no país) não estão habilitados a entrar na universidade."