1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Calendário Histórico

1993: Henry Maske torna-se campeão mundial de boxe

No dia 20 de março de 1993, o boxeador alemão Henry Maske derrotou Charles Williams, detentor do título mundial dos meio-pesados desde 1987. O fato promoveu um renascimento do boxe na Alemanha.

default

Maske (e) ao enfrentar o também alemão Graciano Rocchigiani

Durante muitas décadas, o boxe foi associado a um nome na Alemanha: Max Schmeling. Um atleta usado pela propaganda nazista e apresentado como a "esperança branca" na modalidade. Graças a sua personalidade forte, Max conseguiu libertar-se desse estigma e mais tarde tornou-se um dos ídolos do esporte alemão.

No pós-guerra, o destaque da modalidade foi Bubi Scholz, símbolo de uma época que marcou o despertar da economia alemã. E então veio Henry Maske. O atleta-modelo, nascido em 1946 em Brandemburgo, no Leste do país. O brilho começou com a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Seul, em 1988.

Quando desafiou o detentor do título mundial dos meio-pesados pela Federação Internacional de Boxe (IBF), o favorito era seu adversário, o norte-americano Prince Charles Williams. Henry Maske, por seu lado, foi pentacampeão na ex-Alemanha Oriental e ainda detinha o título europeu e da Copa do Mundo de Boxe.

Coroamento da carreira

Como amador, já havia conquistado o título mundial contra o cubano Pablo Romero. O título mundial da IBF, entretanto, coroou sua carreira. Um contrato com a emissora privada de TV RTL garantiu-lhe também o êxito financeiro. As lutas do campeão passaram a ser transmitidas ao vivo, aumentando sua popularidade. Cada aparição era um show à parte, com detalhes minuciosamente planejados.

O apresentador era trazido especialmente dos Estados Unidos e para cada momento havia músicas especiais. Ao lado do treinador Manfred Wolke, que o acompanhou desde o início da carreira, seguiram-se três anos em que defendeu seus títulos dez vezes.

Na tentativa de popularizar o boxe, o marketing em torno de Henry Maske destacou seu lado cavalheiro (tanto que também era chamado de Gentleman). Fato aproveitado pela crítica para acusá-lo de não dispor de poder de punch e de nunca ter sido seriamente ferido num ringue.

Sua primeira derrota aconteceu quando já havia decidido encerrar a carreira profissional. Na última luta, em 1996, perdeu por pontos para o norte-americano Virgil Hill. Nesse combate, Maske tentava defender seu título mundial pela Federação Internacional de Boxe e ao mesmo tempo conquistar o da Associação Mundial de Boxe (WBA).