1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Calendário Histórico

1973: "Vila Sésamo" estreia na Alemanha

Em 8 de janeiro de 1973, entrou no ar na Alemanha a série "Vila Sésamo", fenômeno televisivo que, através de monstros coloridos, ajudou várias gerações a aprender a ler, contar e entender mensagens sociais importantes.

default

Caco e Come-Come

Elmo (vermelho, pequeno, sensível, gosta de levar cosquinhas) e Gugu (ou Oscar: verde, ranzinza, vive numa lata de lixo) estão entre os simpáticos monstros da Sesamstrasse, como é conhecida a série na Alemanha. O programa foi ideia de Jim Henson, o pai dos Muppets, que, já em 1954, criara protótipos desses bonecos para um show de TV num canal de Washington.

Logo, Caco, o sapo, Come-Come e os inseparáveis Beto e Ênio acabaram entrando para o elenco fixo de Muppet Show e Vila Sésamo. Antes de conquistar seus horários exclusivos com uma hora de duração na TV norte-americana em novembro de 1969, os dois programas eram parte do Ed Sullivan Show.

Amor à primeira vista

O primeiro encontro de cineastas alemães com a Vila Sésamo foi em 1970, no concurso internacional de televisão Prix Jeunesse. Foi amor à primeira vista, porém os baixinhos alemães tiveram que esperar dois anos para conhecer este inovador experimento de puro edutainment, reunindo educação e diversão.

Em 1º de agosto de 1972, foi emitido o episódio piloto, ainda no idioma original. A carreira irrefreável da série deu partida no ano seguinte: dentro em breve, todos conheceriam a Sesamstrasse, que, a exemplo da versão brasileira, combinava cenas rodadas nos Estados Unidos e no país de transmissão.

Alguns educadores temiam que as crianças alemãs tivessem dificuldade de se identificar com as cenas de rua originais, mostrando os bonecos e atores em Nova York e outras locações. Assim, a Sesamstrasse passou a incluir cenas "nacionalizadas" e com personagens exclusivas.

Na Alemanha, a principal personagem local é Samson, que lembra um urso. Ele entrou no lugar de Garibaldo, o pássaro gigante que supostamente poderia assustar os pequenos espectadores. Fruto de zelo pedagógico exagerado ou não, o certo é que o sucesso do substituto foi tão grande que algumas crianças alemãs insistem que o nome do show seja Samson-Strasse.

Preferência mundial

Também na Alemanha, a Vila Sésamo parece inatacável do ponto de vista educacional. "Além das principais áreas de ensino emocional e social, os temas de tolerância e conflito são muito importantes. As crianças tomam contato com eles através da concepção informativa da série", elogia Anke Schmidt-Bratzel, da emissora NDR, então responsável pela produção na Alemanha.

Por todo o mundo, os criadores dos coloridos educadores têm o cuidado de atualizar continuamente as situações e tópicos apresentados. Assim, após os atentados de 11 de setembro de 2001 em Nova York, a Sesame Street norte-americana assumiu a delicada tarefa de ajudar seus pequenos espectadores a compreender a tragédia.

O impacto do programa no Oriente Médio é tão grande que israelenses e palestinos passaram a transmitir uma versão comum da série, acentuando as semelhanças entre as duas culturas.

Num outro exemplo da cruzada de espuma e pano em prol da tolerância, o Muppet Show da África do Sul, país com o maior número de infecções pelo vírus HIV no mundo, de acordo com o relatório da Unaids de 2007, foi enriquecido por Kami, uma figura soropositiva.

Também no Brasil, Elmo e companhia já se tornaram verdadeiros clássicos da cultura infantil. Os episódios gravados de 1972 a 1977, numa parceria entre a Rede Globo e a TV Cultura, incluíam estrelas como Sônia Braga e Aracy Balabanian. Após mais de 30 anos, a série voltou a ser produzida no Brasil, mas na nova versão os bonecos animados de espuma e pano não contracenam com atores ou atrizes de carne e osso.