1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Calendário Histórico

1963: Primeiro copo de plástico de iogurte

Em 10 de maio de 1963 foi introduzido no mercado de Berlim uma nova embalagem para iogurte: o copo de plástico. Não se tinha ainda uma noção do problema ecológico grave que o plástico iria criar.

default

Princípe Charles é um grande apreciador de iogurte, com colher.

A Central de Produtores de Lacticínios de Berlim forneceu, naquele dia, os seus primeiros iogurtes em copos de plástico. Antes eles só existiam em garrafas de vidro, que eram vendidas como casco. Se o comprador as devolvesse recebia de volta o dinheiro equivalente ao valor da garrafa.

A propaganda do novo produto naquela época parece esquisita hoje. Ela enaltecia as vantagens da nova embalagem: a abertura para cima facilitava enormemente que se comesse o iogurte com a colher e o perigo de ferimento era muito menor do que com o recipiente de vidro.

Os berlinenses voaram em cima da nova embalagem. Hans Günther Müller, engenheiro e diretor da Central de Produtores de Lacticínios, lembra a surpresa com a grande demanda do produto: "naquele dia famoso de 10 de maio de 1963 nós tínhamos fabricadas 5.000 unidades para distribuir no mercado e elas se esgotaram imediatamente. A demanda aumentou no dia seguinte e nossa máquina não dava conta de atendê-la. Esta experiência se repetiu durante todo o ano seguinte. Nossa produção era sempre menor que a procura".

O que no início dos anos 60 era o último grito hoje é um grande problema, pelo menos para o meio ambiente. Depois do copo de iogurte vieram as embalagens de plástico para leite, cremes, queijos frescos, sopa, salada, shampoo e uma infinidade de produtos. Mais de 450.000 toneladas de lixo plástico são despejadas por ano na Alemanha.

Nesse meio tempo, plástico e lixo fazem parte do cotidiano de todas as pessoas e há muito tempo se tornaram tema da arte contemporânea. O grupo alemão de artistas Bär & Knell começou a se ocupar, nos anos 90, com a arte de reciclagem e desde então já fez várias exposições na Alemanha e no exterior com os seus objetos e design dos tempos dos velhos copos de iogurte.

O grupo produziu, inicialmente, objeto-cadeira com detritos de plástico, e hoje tem toda uma coleção de luminárias sendo comercializada na Alemanha e na Europa. É um bom exemplo de que a ecologia e a economia podem andar de mãos dadas.

Os inventores do copo de plástico de iogurte gostariam de ter usado o PVC como material, como lembra o engenheiro Müller: "nós sabíamos que era fácil empregar o PVC, mas lamentavelmente ele era caro demais naquela época e não nos dispusemos a aceitar o polysterol. Esta seria a decisão ecológica correta, como se constatou mais tarde, mas nós técnicos tivemos muita dificuldade com isso".

Ao lado das dificuldades técnicas, as máquinas de enchimento vinham da França e todas as peças sobressalentes tinham de ser importadas. A burocracia alemã, em forma de posto de aferição, levou os engenheiros à beira da crise. Com o passar do tempo não deu mais para deter a avalanche de copos de plástico no mercado. Müller lembra que no início de 1965 a demanda era tanta que os copos de plásticos de iogurte tinham de voltar do mercado para os produtores. A Central de Produtores de Lacticínios de Berlim introduziu de novo o casco no mercado. Só que desta era de plástico. (ef)

Links externos