1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Calendário Histórico

1903: Primeiro voo a motor

Os irmãos norte-americanos Wilbur e Orville Wright, de Dayton, Ohio, realizaram no dia 17 de dezembro de 1903 os primeiros voos a motor na costa leste dos Estados Unidos.

default

Hans Richter testa um original de Otto Lilienthal em maio de 1926

Eram apenas pequenos "saltos" de menos de cem metros a partir de uma rampa de madeira, mas foram os primeiros voos a motor documentados na história do avião.

Os dois mecânicos de bicicleta haviam começado a se ocupar com o tema aviação em 1899. Esse acontecimento histórico, na época, passou praticamente despercebido da opinião pública, à exceção de algumas notícias em jornais. Não se tinha ideia da dimensão do que ocorrera em Kitty Hawk, na costa norte-americana.

Na época, acreditava-se que a solução para a conquista do espaço eram balões dirigíveis. Quem tentasse decolar com um equipamento mais pesado do que o ar era motivo de chacota.

Até 1908, os irmãos Wright mantiveram em segredo o aperfeiçoamento de sua aeronave para não colocar seu patenteamento em risco. Por isso, na Europa, falava-se mais de irmãos "mentirosos" do que "voadores", até que Wilbur Wright demonstrou seu equipamento na França no verão de 1908.

Mais de duas horas no ar, ele voou mais de 200 quilômetros. Um ano depois, seu irmão mais jovem, Orville, fez uma demonstração semelhante em Berlim e, sob o olhar de 300 mil espectadores, bateu o recorde mundial de altura: 152 metros.

Reconhecidos como pioneiros

Ainda em 1909, foi criada em Berlim a Sociedade Wright da Alemanha, que teve mais sucesso na construção e venda de biplanos do que a matriz nos EUA. Em 1910, um terço dos pilotos alemães foi instruído nesse tipo de avião, que vencia a maioria das competições aéreas. A partir de 1912, técnicos europeus assumiram a liderança do desenvolvimento da tecnologia aérea, enquanto os irmãos Wright perdiam terreno, presos ao conceito básico de suas máquinas.

Isso, porém, não impediu que fossem reconhecidos internacionalmente como pioneiros da aviação a motor. Ao lado do Spirit of St. Louis (que Charles Lindbergh usou em 1927 no primeiro vôo sem escala de Nova York a Paris) e o módulo lunar Eagle, o Wright-Flyer I é uma jóia do Museu Aeroespacial Nacional, em Washington.

Trabalho baseado em estudo de alemão

A invenção dos irmãos Wright havia se baseado nos estudos de Otto Lilienthal, pioneiro da aviação alemã. Assim como Lilienthal, que se acidentou num voo planado, em 1896, os norte-americanos realizaram testes com planadores antes de iniciar os voos a motor.

A última publicação de Wilbur Wright, que morreu de tifo, em 1912, aos 45 anos de idade, foi um elogio a Lilienthal. "Sem dúvida, Otto foi o mais significativo dos homens que se ocuparam do problema da aviação no século 19", diz em artigo publicado postumamente pelo Aeroclube dos Estados Unidos.

A evolução da tecnologia desenvolvida pelos Wright e Lilienthal acabou levando o homem à Lua e à construção de uma estação orbital, com subprodutos de uso civil, como o jato supersônico Concorde.