1825: Criada a Associação do Comércio Livreiro Alemão | Os acontecimentos que marcaram o dia de hoje na História | DW | 30.04.2010
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Calendário Histórico

1825: Criada a Associação do Comércio Livreiro Alemão

A 30 de abril de 1825, livreiros e editores fundaram a Associação do Comércio Livreiro Alemão. O objetivo era centralizar os interesses das editoras, combater todo o tipo de censura e defender os direitos autorais.

default

O nome original da associação – Börsenverein des Deutschen Buchhandels – pode ser entendido como uma espécie de "bolsa" para negócios no mercado. Na realidade, tratava-se de uma central que facilitava aos seus membros as transações entre os vários Estados e as diversas unidades monetárias que circulavam nos países de língua alemã.

Na época, a cidade de Leipzig, no leste da Alemanha, era ponto de encontro e distribuição de direitos de publicação. Hoje em dia, devido à localização no país e sua fama internacional, este papel foi passado à Feira do Livro de Frankfurt.

A Associação do Comércio Livreiro Alemão foi a primeira corporação alemã que permitia a filiação de estrangeiros, desde que tivessem ligações com o mercado alemão de livros.

Diferentemente de hoje, a associação tinha também as incumbências de combater a censura e controlar o mercado. Continua atual, entretanto, a luta contra a pirataria e a preocupação cada vez maior em proteger a propriedade intelectual, em vista da criação constante de novos segmentos de mercado, principalmente no âmbito da multimídia.

Criação de livrarias e garantia de preços

Desde o início, a associação representou ao mesmo tempo duas categorias em princípio antagônicas: os autores e seus editores. Uma tarefa difícil, considerando-se a grande quantidade de novos títulos lançados a cada ano na Alemanha e a grande variedade de editoras que vendem livros pela internet.

No início do século 19, o principal objetivo do comércio livreiro alemão, então presidido por Adolf Kröner, era a criação de lojas (livrarias) para a venda dos livros e a uniformidade de preços. No início, houve fortes críticas dos que temiam a criação de um "cartel" no setor.

A polêmica foi encerrada em 1904, com um consenso: a associação passou a conceder descontos a bibliotecas, ainda usuais hoje em dia. A garantia de preço fixo, entretanto, continua controversa. Seus defensores argumentam que ela serve para proteger contra dumping autores desconhecidos e editoras menores.

Depois do final da Primeira Guerra Mundial, em 1945, os livreiros alemães organizaram-se em associações regionais, independentes de Leipzig. Outra incumbência do Comércio Livreiro Alemão é garantir a cobrança de apenas 50% do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços sobre as obras literárias.

Além disso, ele é responsável pelo registro de todas as obras editadas e mantém uma escola para quem quer aprender a profissão de livreiro. Entrementes, o prêmio anual concedido pela entidade desde 1950 tornou-se a principal distinção alemã de literatura.

Links externos