1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Calendário Histórico

1297: Grimaldi conquista Mônaco

Um falso monge busca pousada no castelo de Mônaco, sobre um rochedo íngreme entre a Itália e a França, na tempestuosa noite de 8 de janeiro de 1297. Com esse ardil, Francisco Grimaldi conquistou Mônaco naquela noite.

default

Principado de Mônaco, localizado entre a França e a Itália

Um homem encapuzado busca pousada numa noite tempestuosa. Ele bate à porta do castelo de Mônaco, num rochedo íngreme à beira-mar, localizado entre a Itália e a França de hoje. Sem suspeitar de nada, os sentinelas abrem os portões. E são massacrados pelo falso monge e seus acompanhantes. Com esse ardil, Francisco Grimaldi, conhecido como "o Traiçoeiro", conquistou Mônaco em 8 de janeiro de 1297.

Grimaldi apoderou-se de um rochedo histórico. Já no século 2º a.C., os gregos utilizavam aqueles dois quilômetros quadrados de costa íngreme como posto avançado da sua navegação marítima. Eles lhe deram o nome de Monoikos. No século 12 d.C., o imperador romano-germânico presenteou o rochedo de Mônaco (nome latino de Monoikos) à República de Gênova, principal centro de comércio internacional da Idade Média.

Para os genoveses, Mônaco era de grande valia, como base naval para o comércio marítimo. Em Gênova, o poder era disputado entre os gibelinos, fiéis ao imperador, e os guelfos, partidários do Papa. Os gibelinos tinham maior influência. Até que seu poder foi reduzido pelo belicoso guelfo Francisco Grimaldi, pelo menos em Mônaco. Lá, Grimaldi declarou-se príncipe.

Sobrevivência através de pirataria

Com atos de pirataria e assaltos às regiões vizinhas, os Grimaldi conseguiram sobreviver. Francisco e seus não menos belicosos descendentes lograram evitar assim que o pequeno pedaço de costa fosse reconquistado. Algumas vezes, a família Grimaldi original viu-se à beira da extinção. Através de uma política astuta, porém, membros de outras famílias nobres foram integrados à dinastia, garantindo assim a continuidade dos Grimaldi. No ano de 1489, o rei da França reconheceu oficialmente a independência do Principado de Mônaco.

Os tempos dourados de Mônaco começaram durante a chamada "Belle Époque", em meados do século 19. O príncipe Charles 3º Grimaldi e sua mãe Charlotte aproveitaram o majestoso panorama marítimo do seu reino em miniatura, assim como a sua proximidade com a mundana Nice. Em 1865, abriram um luxuoso cassino em Mônaco.

Já quatro anos mais tarde, era tão fenomenal o êxito econômico, que o príncipe Charles pôde conceder completa isenção de impostos a todos os seus súditos. Também o setor cultural foi fomentado. No palco da pomposa Ópera de Monte Carlo, a capital de Mônaco, apresentavam-se todas as noites os mais famosos artistas da época. Mônaco tornou-se assim o ponto de encontro dos ricos e ávidos de diversão de todo o mundo.

** ARCHIV ** Ein Archivbild vom 12. Dezember 1955 zeigt die Schauspielerin Grace Kelly. Am Samstag, 14. September 2002, jaehrt sich der Tag an dem Grace Kelly, die spaetere Fuerstin Gracia Patricia von Monaco, bei einem Autounfall starb zum zwanzigsten Mal. (AP-Photo)

Grace Kelly, 'glamour' para o principado

Mônaco de hoje: dinheiro e badalação

No dia 18 de abril de 1956, começou o mais recente capítulo na aventurosa história do miniprincipado de Mônaco. O príncipe Rainier 3º Grimaldi casou-se com Grace Kelly, estrela de Hollywood, então com 26 anos de idade. A belíssima noiva loura lhe trouxe um dote de 2 milhões de dólares, que o príncipe necessitava com urgência. Ao país, Mônaco, ela trouxe de volta o brilho, o glamour e uma constante atenção da imprensa. Além disso, ela deu três filhos ao príncipe: a garantia de sobrevivência de Mônaco. Pois, sem herdeiro para o trono, o país é incorporado à França, segundo os termos do acordo estatal.

Grace Kelly adotou o nome de princesa Gracia Patricia Grimaldi ao casar-se. Ela faleceu em 1982, num acidente de automóvel. Porém, o jet set internacional, que ela atraíra para Monte Carlo, permaneceu fiel a Mônaco. Os apartamentos dos complexos residenciais de Monte Carlo são ocupados pelos super-ricos de todo o mundo, que também abrem contas sigilosas nos 49 bancos de Mônaco.

Até hoje, os tradicionais privilégios tributários de Mônaco são inigualáveis. As tentativas europeias e internacionais de acabar com as vantagens fiscais monegascas sempre fracassaram. É por isso que o príncipe Rainier 3º denominou Mônaco "a bomba de dinheiro". Os dois monges no brasão estatal relembram como tudo começou, há mais de 700 anos: com Francisco Grimaldi disfarçado de religioso.